Compartilhe esse artigo:


A carta que a doce Jane mandou para Ben e seus pais tocou o coração de milhares de pessoas que viram o texto no Twitter da professora e deixou a mãe do menino em lágrimas.
Já tinha encerrado as postagens para essa primeira semana de 2017, até ler essa carta. Ela reflete meu pensamento sobre a atividade de ser um professor comprometido com a sua profissão. Também reflete meu pensamento sobre o que é avaliar um aluno.

Sabendo disso, a professora Jane Clarkson, de uma escola infantil do Reino Unido, teve uma atitude muito especial ao comunicar as notas baixas do seu aluno autista de 11 anos, Ben Twist.

In tears. A letter to my 11 yr old autistic son from his school. "These tests only measure a little bit of you" pic.twitter.com/e9OPECidxX — Gail Twist🐝 (@gailtwist) 9 de julho de 2016

Apesar de ter dado o seu melhor nas provas, seus resultados não foram satisfatórios – de acordo com o sistema tradicional. A carta que a doce Jane mandou para Ben e seus pais tocou o coração de milhares de pessoas que viram o texto no Twitter da professora e deixou a mãe do menino em lágrimas.

Essa carta reflete meu pensamento sobre a atividade de ser um professor comprometido
Ben Twist

Tradução livre:

Querido Ben,
Estou escrevendo para te parabenizar pela sua atitude e sucesso ao completar seu ano letivo.
Gil, Lynn, Angela, Steph e Anne trabalharam muito bem com você este ano e você fez progressos maravilhosos.
Escrevi para você e seus pais para contar a vocês o resultado das provas.
Uma parte muito importante: quero que você entenda que essas provas medem apenas um pequeno pedacinho seu e de suas habilidades. Elas são importantes e você as fez muito bem, mas o Ben Twist é feito de muitas outras habilidades e talentos que nós, aqui da escola Lansbury Bridge, vimos e medimos de outras maneiras.
Outros talentos que você tem e que essas provas não medem, incluem:
– Seu talento artístico;
– Sua habilidade de trabalhar em grupo;
– O desenvolvimento da sua independência;
– Sua bondade;
– Sua habilidade de expressar opiniões;
– Suas habilidades esportivas;
– Sua habilidade de fazer e manter amigos;
– Sua habilidade de discutir e avaliar seu próprio progresso;
– Seu planejamento e construção de talentos;
– Sua habilidade musical.
Nós estamos muito satisfeitos com todos esses diferentes talentos e habilidades que fazem de você essa pessoa especial e essas são todas as coisas que mensuramos que nos asseguram o fato de você estar sempre progredindo e continuando seu desenvolvimento como um adorável e brilhante homenzinho.
Muito bem, Ben. Nós estamos muito orgulhosos de você.
Felicidades!
Senhora Clarkson.

Esta carta é incrível! disse Ben, quase não acreditando no que tinha acabado de ler!

Se essa professora não fosse comprometida com a sua profissão, o que teria feito? Nada, não é mesmo! É sempre mais fácil jogar a culpa no aluno e custar para entender que também temos nossa parcela de descompromisso.

Um aluno que tira um 10,0 não sabe mais do que o que tira um 4,0. Aliás, quantificar tem sido nosso erro.

Se eu fosse avaliar aluno por nota, já teria perdido ótimos professores e profissionais em outras áreas atuando agora, que foram meus alunos e, na época, nota baixa era comum.

Com informações de brightside.me.

Esta sugestão e tradução de postagem foi enviada pela professora paulista Letícia Torres.

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: