Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Erros são comuns do ser humano e sem eles nossa aprendizagem não teria evoluído ao ponto que estamos hoje. A história da ciência mostra isso claramente. No entanto, quanto mais tentamos nos livrar de alguns erros, mais avançamos sem muitos esforços.

Pelo menos pode acontecer isso na hora de você corrigir suas provas de Matemática ou de qualquer outra disciplina.

Não encare essa postagem como uma imposição, pois não é. Até porque cada erro citado aqui foi baseado em minhas próprias experiências como professor de Matemática há 15 anos e outros me foram passados através dos meus orientadores na faculdade.

Leituras complementares:

Leia a postagem completa depois da imagem.

5 erros que todo professor não pode cometer na hora de corrigir provas

É certo de que algumas coisas que você lerá nesse artigo fará você dizer: mas não tenho tempo para isso! Ou ainda dirá: é impossível trabalhar nesse estilo!

A ideia desse post é de relatar erros que cometemos na hora de corrigir provas, e como, particularmente, administro isso (ou tento). Se puder colocar em prática você só tem a ganhar. Caso contrário, continuará no mesmo estilo que funciona para você.

1) Corrigir todas as provas de uma vez só

É claro que isso depende do volume de provas que você tem para corrigir.

Mas por quê não podemos corrigir todas as provas de uma vez só?

Você pode sim! (risos). As provas são suas e ninguém pode julgar você quanto a isso. Porém, um erro pode acontecer no meio disso tudo.

Por exemplo: você tem 10 turmas e aplicou uma prova subjetiva com 10 questões em cada prova. São 100 questões para analisar passo a passo.

Quando você chegar antes da metade das correções, é quase certeza que você cometerá erros nas correções. É impossível você corrigir esse volume de provas da turma 1 a turma 10 com o mesmo ritmo, dedicação e principalmente atenção.

O cansaço te vencerá. E você cometerá equívocos bobos, como:
  • Quantificar a nota errada;
  • Esquecer de corrigir uma questão;
  • Faltar com bom senso em determinadas respostas de alunos;
  • Entre outros.

Como fazer?

Dependendo do cronograma de avaliações adotado na escola que trabalha, corrija suas provas no mesmo dia em que aplicou-as. Certamente todas as provas não são aplicadas na mesma data.

Por exemplo, apliquei uma avaliação na segunda-feira e na segunda-feira já corrigi.

2) Separar as provas corrigidas das provas que não foram corrigidas

Mais um vez tenho que dizer que depende do volume de provas que tem para corrigir. Sigo com o mesmo exemplo do tópico anterior.

Exemplo: você tem 10 turmas e aplicou uma prova subjetiva com 10 questões em cada prova. São 100 questões para analisar passo a passo.

Depois de corrigir a primeira prova, você retira de cima e coloca no final do bloco de uma turma, mantendo as provas corrigidas e não corrigidas no mesmo bloco. E assim sucessivamente, sempre  enviando as corrigidas para o final do bloco de provas.

Quando corrigia assim, tinha uma sensação que as provas não acabavam nunca. 😅

Como fazer?

Depois de corrigir a primeira prova, você retira-a separando das outras que não foram corrigidas. E assim sucessivamente, sempre separando em dois ou mais blocos - as corrigidas e as não corrigidas. Dessa forma você sentirá o volume de provas diminuindo de acordo com as correções já realizadas.

Para bobagem, mas ajuda muito.

3) Corrigir provas em sala de aula com os alunos

A não ser que seja uma correção comentada passo a passo (onde o aluno é ativo), já que todos os alunos já sabem as suas notas. Essa correção serve apenas para mostrar como a prova foi elaborada, corrigida e pontuada sob diversos aspectos.

Corrigir, dar notas e entregar provas em sala de aula é um erro que o professor pode evitar facilmente. Por que é um erro? Corrigir provas em sala de aula não é atividade que faz parte da aula, até porque o que fará o aluno vendo o professor sentado corrigindo provas?

E ainda mais há o risco de conflito entre professor e aluno por discordâncias de notas e correção justa ou injusta causadas por momentos de desatenção.

Correção de provas é um momento de concentração intensa. Deve ser feito em ambiente fechado e sem conversas paralelas, afim de evitar erros simples de correção.

4) Não informar o erro do aluno

Para provas subjetivas é comum o professor dá o visto de errado e/ou certo em cada questão, pontuá-las e pronto. Se é pra avaliar nesse sentido, que mostre o erro do aluno. Dessa forma o estudante ficará ciente do seu erro e tentará não cometer novamente.

Apontar o erro do aluno, significa fazer uma breve anotação ou mesmo mostrar o cálculo correto naquele trecho de erro cometido pelo aluno na prova.

5) Sem pontuação matemática rigorosa

Para uma prova objetiva

Geralmente a pontuação é feita da seguinte forma:
  • 10 pontos divididos em 10 questões. Cada questão vale 1 ponto.
Ok.

Para uma prova subjetiva

E quando a prova é subjetiva? Como pontuar? Errou um sinal, errou tudo? Só vale se tiver a resposta completamente certa, do início ao fim do cálculo? Se acertar o cálculo todo, mas no final errou o sinal, vale a pontuação completa? Isso é comum.

Pausa para um exemplo. Um triste exemplo.

O viaduto que caiu em Belo Horizonte em 2014

O viaduto que caiu em Belo Horizonte em 2014
Foto: Lincon Zarbietti/O Tempo/Futura Press)
A queda de um viaduto em construção na Avenida Pedro I, em Belo Horizonte, matou pelo menos duas pessoas e deixou outras 22 feridas. Dois caminhões, um micro-ônibus e um carro foram esmagados pela estrutura.

O local do acidente fica a cerca de cinco quilômetros do estádio do Mineirão, que recebe na próxima terça-feira um dos jogos das semifinais da Copa do Mundo, e a dez quilômetros do Centro de Treinamento do Atlético-MG, onde a seleção argentina estava concentrada.

Por que desabou? Erro de projeto ou de cálculo estrutural?

Segundo o diretor do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, Marco Paiva, a causa do desabamento foi um erro de cálculo do bloco de fundação de uma pilar. Ainda de acordo com ele, houve uma sucessão de erros de álgebra que levaram ao cálculo equivocado da quantidade de aço presente na estrutura e na dimensão desse mesmo bloco.



Houve uma sucessão de erros de cálculos, erros algébricos, porque quando você vai fazer o dimensionamento de um bloco, você leva em conta as cargas que atuam nesse bloco e todos os elementos, como a dimensão do bloco, enfim. Esses dados foram sendo introduzidos com erros e, a partir daí, foi gerando uma cadeia de erros nos cálculos, o que redundou, obviamente, no dimensionamento errado, tanto do aço do bloco, quanto nas suas dimensões físicas. Então, essa quantidade inferior de aço fez com que o bloco não suportasse os esforços atuantes sobre ele e viesse a romper, explicou Marco Paiva para o G1 Minas Gerais.

Um simples sinal errado, uma adição errada de apenas um algarismo, uma raiz quadrada ou potenciação equivocada, ou até mesmo um erro de interpretação matemática culmina em uma resposta errada e assim deve ser tratada.

Mas professor, fiz todos os cálculos corretamente e errei apenas o sinal da resposta final, por que você colocou zero na questão? Em vez de +7 eu coloquei -7. 😰 Reclama um aluno

A resposta é simples: $+7$ e $-7$ são dois números totalmente diferentes.

Módulo - Número inteiro.

Olha o que pode acontecer com o estudante de engenharia que se acostuma a receber respostas certas (ou metade da pontuação), quando na verdade estão erradas. A displicência é um erro humano e isso pode ser levado para a sua vida. As consequências podem ser desastrosas.

Portanto, ser rigoroso em correções é importante e não o transformará em um mostro insensível. Explique para os seus alunos a importância de desenvolver cálculos matemáticos corretos, do início ao fim.

+1) Não corrija provas nos finais de semana!

Não é erro! É apenas uma dica final. 😉

Faça qualquer coisa, menos corrigir provas. Geralmente, finais de semana uso para:
  • Ler livros;
  • Assistir filmes e séries no Netflix;
  • Receber amigos e familiares em casa;
  • Sair com amigos;
  • Escrever neste blog;
  • Network em redes sociais;
  • E muito mais.
E as provas professor? Corrigi quando? Todas as dicas para se livrar de corrigir provas nos finais de semana estão no artigo Como elaborar e digitar 7 provas (70 questões) em apenas 10 minutos?.

Que outros erros você poderia apontar para não cometermos erros na hora de corrigir provas?

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Sem dúvida alguma o GeoGebra é o software matemático mais completo, didático, dinâmico, interativo e simples de usar para as aulas de Matemática, Física, Química, etc. Não é a toa que é o software educacional mais premiado do mundo.

Além dos applets (materiais criados com o GeoGebra) que são uma mão na roda na hora ministrar aulas e/ou criar trabalhos colaborativos com os alunos, como você pode conferir no artigo Matemática na vida real com o GeoGebra; o GeoGebra também dispõe de um conjunto de ferramentas que não limita apenas a materiais básicos para as aulas.

Com o GeoGebra é possível até mesmo criar jogos. Quer saber mais? Continue lendo a postagem depois da imagem.

6 coisas que o GeoGebra faz e que talvez você não sabia

1 - Gerar malhas cartesianas, polares e isométricas

Nessa postagem você aprenderá facilmente em alguns minutinhos a gerar suas próprias malhas cartesianas, polares e isométricas. Se preferir poderá baixar malhas já prontas para impressão.

Em alguns casos a utilização desses tipos de malhas para esboços manuais é exigido por professores em cursos técnicos de institutos federais ou mesmo na escola para desenhar gráficos de funções.

Encontrar papel milimetrado parece ser uma tarefa difícil segundo dezenas de comentários aqui no blog. E ainda por cima é caro. Então esse artigo pode te ajudar.

Ler artigo

2 - Criar um livro

Não é um livro comum que pode ser impresso. Um Livro GeoGebra (GeoGegraBook) traz toda a estrutura de um livro comum, mas recheado de páginas interativas e dinâmicas. Sua função é de organização da melhor forma possível, por exemplo, um curso de Geometria.

Clique no botão abaixo para ver 4 exemplos de Livros GeoGebra. E aprenda também como criar um para as suas aulas de Matemática ou outra disciplina.


Ver 4 Livros GeoGebra Baixar esse vídeo - HD 720 - 12MB Criar agora

3 - Criar animações interativas e exportar em um gif animado

Criar materiais interativos e dinâmicos com o GeoGebra é o recurso mais básico que você pode criar. Como eles são interativos e exibem animações de objetos específicos em cada material, é comum querermos salvar uma determinada exibição desse recursos animado.

Um exemplo é esse gif animado que salvei sobre o o estudo da função polinomial de primeiro grau com o GeoGebra.

Dependendo da animação que queira gerar, o processo pode ser lento. Mas, depende também da sua memória RAM e processador. Até onde testei, esse recurso está disponível apenas para a versão clássica do GeoGebra.

Ver gif animado Como exportar como Gif animado


4 - Exportar equações e imagens geométricas em alta resolução

Usar equações com fontes maiores em: relatórios, resumos, livros, banners de projetos universitários, poster para divulgação de um evento; sem perder a qualidade e elegância é um fator importante.

Quer aprender? Clique no botão abaixo e leia a postagem completa.

Ler artigo

5 - Criar jogos

Alguns joguinhos criados com o GeoGebra exigem além de muita criativa, também um pouquinho de domínio de linguagem de programação para implementar condicionais e funções específicas de acordo com o objetivo de cada jogo.

Um exemplo simples é a Torre de Hanói. Você pode conferir esse jogo no artigo Jogo Torre de Hanói criado com o GeoGebra (jogue online ou offline).

Alguns jogos

6 - Não substitui o professor

O GeoGebra é uma maravilha de software, mas ele não substitui o professor. Nenhum software educacional irá substituir a criatividade de um professor. O software sozinho não age a favor da aprendizagem dos alunos. O software sozinho é apenas uma ferramenta.

No entanto, quando aplicado da forma correta traz benefícios extraordinários para o ensino e a aprendizagem durante as aulas de Matemática, Física outra disciplina em que o GeoGebra seja aplicável.

Um ótimo exemplo pode ser conferido no artigo Matemática na vida real com o GeoGebra. Mais do que uma ferramenta tecnológica, o GeoGebra é uma inspiração.

Acesse a categoria GeoGebra para mais artigos.

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
O Telegram é um mensageiro de altíssima velocidade semelhante ao WhatsApp, porém MUITO melhor em diversos aspectos. Além dos recursos básicos como trocar mensagens de texto, áudio, chamadas, arquivos de todos os tipos, criação de grupos, etc., o Telegram também disponibiliza a criação de Super Grupos e Canais. E esta última opção é a que se encaixa perfeitamente para uma gestão escolar, seja pública ou privada.

Com mais de 200 milhões de usuários ativos mensalmente, o Telegram é desconhecido por algumas pessoas no Brasil. Sempre que apresento para colegas e amigos, eles se surpreendem positivamente com o aplicativo.

Nessa postagem, fora do contexto matemático, trago uma sugestão de utilização com o Telegram por escolas públicas ou privadas. O objetivo principal é otimizar a organização de diversas atividades ligadas a gestão escolar.

As informações principais e a minha sugestão, você pode conferir depois da imagem.

Tópicos para essa postagem:

  1. O Telegram, segundo o Telegram.
  2. É seguro?
  3. Qual a diferença do Telegram para o WhatsApp?
  4. O aplicativo está disponível para todas as plataformas?
  5. Sobre "um traço" e "dois traços".
  6. O que é um SuperGrupo e como criar?
  7. O que é um Canal e como criar?
  8. O que é um Chat Secreto e como criar?
  9. O que é um Bot e como utilizá-lo?
  10. 10 recursos que fazem o Telegram ainda ser melhor do que WhatsApp (Vídeo)
  11. Como escolas podem se beneficiar utilizando o Telegram?

Como escolas podem se beneficiar utilizando o Telegram?

1) O Telegram, segundo o Telegram.

O Telegram é um aplicativo de mensagens com foco em velocidade e segurança, é super rápido, simples e grátis. Você pode usar o Telegram em todos os seus dispositivos ao mesmo tempo — suas mensagens serão sincronizadas em todos os seus celulares, tablets ou desktop.

Com o Telegram, você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo (doc, zip, mp3, mp4, etc.), assim como criar grupos de até 100 mil pessoas ou canais para transmitir para audiências ilimitadas. Você pode conversar com seus contatos telefônicos ou procurando-os pelo nome de usuário.

Como resultado, o Telegram é como SMS e email combinados — e pode tomar conta de todas as suas necessidades de mensagens pessoais ou de negócios.

Voltar ao índice

2) É seguro?

No Telegram os dois componentes mais importantes da privacidade na internet são:

  1. Proteger suas conversas privadas de bisbilhoteiros, tais como autoridades, empregadores, etc.
  2. Proteger seus dados pessoais de terceiros, como marqueteiros, anunciantes, etc.

O Telegram é mais seguro que aplicativos de mensagens de mercado em massa como WhatsApp e Line. Temos como base o protocolo MTProto, construído sobre algoritmos testados ao longo do tempo para tornar a segurança compatível com a alta velocidade de entrega e confiabilidade em conexões instáveis. Estamos continuamente trabalhando com a comunidade para melhorar a segurança de nosso protocolo e clientes.

O Telegram é um projeto não-comercial com o objetivo de criar um aplicativo de mensagens realmente gratuito, sem os contrapontos comuns. Isto significa que ao invés de desviar a atenção com ajustes de baixo impacto, podemos focar nos problemas reais de privacidade que existem no mundo moderno.

Telegram - Segurança

E sobre o GDPR?

O Telegram mantém apenas as informações necessárias para funcionar como um serviço em nuvem, rico em recursos - por exemplo, suas conversas na nuvem para que você possa acessá-las de qualquer dispositivo sem usar backups de terceiros, ou seus contatos para poder facilitar o envio de mensagens para seus amigos e familiares no Telegram.

Leia mais sobre o GDPR (Regulação Geral de Proteção de Dados).

Voltar ao índice

3) Qual a diferença do Telegram para o WhatsApp?

Ao contrário do WhatsApp, o Telegram é baseado na nuvem com perfeita sincronização. Como resultado, você pode acessar suas mensagens de diversos dispositivos simultaneamente, incluindo tablets e desktops, e compartilhar um número ilimitado de fotos, vídeos e arquivos de até 1,5 GB cada. E se você não deseja armazenar dados em seu dispositivo, você pode manter sempre na nuvem.

Graças aos múltiplos data-centers e criptografia, o Telegram também é mais rápido e muito mais seguro. Além disso, Telegram é grátis e permanecerá grátissem anúncios, sem assinaturas, para sempre.

Voltar ao índice

4) O aplicativo está disponível para todas as plataformas?

Você pode usar o Telegram em smartphones, tablets ou mesmo em desktop. O Telegram está disponível para iOS (6 e superiores), Android (4.1 e superiores) e Windows Phone. Você pode também usar a versão web do Telegram ou instalar o aplicativo para desktop no Windows, OS X e Linux (que uso nesse momento com o Xubuntu 18.04 LTS).

Você pode acessar o Telegram de quantos dispositivos quiser — todos simultaneamente. É só usar o seu número de celular principal para logar em todos os lugares.

Download do Telegram para dispositivos móveis

Clique em um dos botões abaixo para baixar o Telegram em seu smartphone ou tablet.

Android iPhone e iPad Windows Phone Firefox OS

Download do Telegram para desktop

Clique em um dos botões abaixo para baixar e instalar o Telegram em seu notebook ou PC.

Linux - Mac - Windows Mac OS

Versão Web

Não quer instalar nada? Use a versão web diretamente em seu navegador de internet preferido.

Navegador Web Chrome


Voltar ao índice

5) Sobre "um traço" e "dois traços".

Um traço — mensagem entregue à nuvem do Telegram e seu amigo foi notificado, se ele permitir notificações. Dois traços — mensagem lida (seu amigo abriu o Telegram e abriu a conversa com a mensagem).

O Telegram não tem um status de "entregue ao dispositivo" para as mensagens, porque o Telegram pode ser acessado em quantos dispositivos você quiser. Todas as funcionalidades básicas do Telegram, como quem pode me ver online, se a mensagem foi entregue ou não, etc., podem ser verificadas no link abaixo.

Telegram - Básico


Voltar ao índice

6) O que é um SuperGrupo e como criar?

Um Grupo Básico no Telegram pode ter até 200 membros. Com um Grupo Básico é possível ter:
  • Histórico unificado: edite suas mensagens após postagem, ou apague-as e elas desaparecerão para todos.
  • Disponibilidade entre plataformas: acesse suas mensagens a qualquer momento, de qualquer um de seus celulares ou desktop.
  • Buscas instantâneas: encontre a mensagem que você está procurando, mesmo entre milhões.
  • Respostas, menções, hashtags: mantenha facilmente uma conversação e tenha uma comunicação eficiente, não importando o tamanho do grupo.
  • Notificações inteligentes: silencie o grupo para obter notificações somente quando as pessoas te mencionarem ou responderem suas mensagens.
  • Compartilhamento de arquivos: envie e receba arquivos de qualquer tipo, com até 1.5GB cada e acesse-os instantaneamente de qualquer dispositivo.
  • Customização via bots: crie ferramentas customizáveis para necessidades especificas usando nossa API para Bots e os Bots Integrados.

Mas, se essa quantidade não é suficiente você pode transformar o seu Grupo Básico em um SuperGrupo, e ele pode ter até 100 mil membros. As pessoas podem ser convidadas através de links personalizados ou pela busca do nome do grupo ou supergrupo, no aplicativo do Telegram.

Para uma escola de médio ou grande porte, um Grupo Básico é mais do que suficiente. No último tópico deixo minhas sugestões de como escolas podem se beneficiar utilizando o Telegram?


Telegram - Criar Grupo | Super Grupo


Voltar ao índice

7) O que é um Canal e como criar?

Diferentemente do Grupo Básico ou Super Grupo, em um Canal no Telegram somente o administrador ou pessoas autorizadas (possuem direitos limitados) pelo administrador podem enviar conteúdo para todos os membros do Canal.

Canais são uma ferramenta para transmissão pública de mensagens para grandes audiências. De fato, um canal pode ter um número ilimitado de membros. Quando você posta em um canal, a mensagem é assinada com o nome e foto do canal e não a sua própria foto.

Canal Telegram BR Canal Telegram US Canal desse blog

Um canal pode ser público ou privado

Canais públicos possuem um nome de usuário. Qualquer um pode encontrá-los na busca do Telegram e entrar. Canais privados são para sociedades fechadas - você precisa ser adicionado pelo criador ou obter um link de convite para entrar. Ideal para escolas.

Nenhum membro pode enviar conteúdo, podendo apenas visualizar tudo o que é compartilhado no Canal. É essa parte que mais gosto e que é muito útil para uma gestão escolar. Caso deseje, pule para o último tópico onde deixo minhas sugestões de como escolas podem se beneficiar utilizando o Telegram?

Assim como em supergrupos, se uma mensagem é apagada de um canal, ela desaparecerá para todos os membros.


Telegram - Criar Canal


Voltar ao índice

8) O que é um Chat Secreto e como criar?

Chats secretos são para pessoas que querem mais segurança que as pessoas normais. Todas mensagens nos chats secretos usam criptografia ponta-a-ponta. Isso significa que somente você e o destinatário podem ler estas mensagens — ninguém mais conseguirá decifrá-las, incluindo até o Telegram.

Enquanto todas mensagens do Telegram são sempre criptografadas seguramente, mensagens em Chats Secretos usam criptografia cliente-cliente, enquanto em chats na nuvem é utilizada a criptografia cliente-servidor/servidor-cliente e armazenadas, seguramente criptografadas, na Nuvem do Telegram.

Toda essa segurança não é 100% segura, visto que uma pessoa pode tirar fotos do chat secreto com outro dispositivo ou câmera digital convencional. A melhor forma de proteção é fazer chat secreto com pessoas que você realmente confia.

Mais sobre Chat Secreto? Clique no botão abaixo.

Telegram - Chat Secreto


Voltar ao índice

9) O que é um Bot e como utilizá-lo?

Conhecidos como bots, da abreviação de robots (robôs em inglês), basicamente são perfis automatizados que oferecem diversos tipos de serviços. Esses programinhas são gerenciados por softwares.

Por exemplo, existem bots para criar enquetes/votação no Telegram, muito útil para saber a opinião de um grupo ou canal sobre um determinado tema. E que tal transcrever um texto que aparece em uma imagem para um formato de texto editável? Tem bot para isso também.

Leia a postagem: Bots para escrever em Latex no Telegram.

Se quiser dicas de bots úteis, me chame no Telegram (edigley_alexandre).

Saiba mais sobre bots clicando no botão abaixo.

Telegram - Bots


Voltar ao índice

10) 10 recursos que fazem o Telegram ainda ser melhor do que WhatsApp (Vídeo)

O melhor e o pior são apenas pontos de vista discordantes. Tudo depende do que os aplicativos, tanto o Telegram como o WhatsApp, podem fazer de acordo com a sua necessidade. Assista o vídeo abaixo para conhecer esses recursos. O vídeo é de 2017, portanto o app tem muito mais recursos incorporados do que antes.

Dê um play!
Telegram - Recursos


Voltar ao índice

11) Como escolas podem se beneficiar utilizando o Telegram?

Os grupos do WhatsApp ou Telegram são ferramentas realmente úteis em qualquer setor. Clínicas que agendam consultas sem que o paciente precise até o local, escritórios de contabilidade e administração de condomínios são apenas alguns exemplos.

Organizar canais da escola no Telegram

Mas, uma coisa todos os grupos tem em comum — desorganização. E isso não depende apenas de quem administra, e sim dos membros que não entendem o seu funcionamento e enchem os grupos com mensagens desnecessárias, poluindo o grupo mais ainda.

E numa gestão escolar?

No caso de um ambiente de gestão escolar, essa desorganização pode causar efeitos indesejáveis e conflitos de informações. Se um grupo foi criado apenas para enviar avisos de diversos tipos, ele é totalmente desnecessário.

Se o grupo foi criado para discutir temas entre um determinado segmento escolar (professores, funcionários, administração, etc.), então esse grupo é necessário e útil.

Troque o grupo por um canal

Como organizar e segmentar um conjunto de pessoas de maneira que elas recebam somente informações específicas? Criando um Canal no Telegram.

Um canal é a ferramenta perfeita para criar um mural de avisos de diversos tipos que acontecem em uma escola.

Em um Canal no Telegram somente o administrador envia mensagens (texto, foto, áudio, vídeo, gif, arquivos compactados, emotions, stickers, etc.). Nenhum membro pode enviar mensagens para o Canal, mas o administrador pode entrar em contato de forma privada com qualquer membro do Canal.

Cabe aos membros ativarem as notificações, ler as mensagens e ficar a par dos avisos e comunicados lançados pela escola.

Para uma melhor organização, minha sugestão é de criar um canal para cada setor da escola:
  1. Para professores: comunicados importantes, avisos sobre o ano letivo, calendários de aulas e avaliações, eventos programados, etc., tudo seria repassado por um canal no Telegram de maneira rápida e privada.
  2. Para os pais: avisos e comunicados enviados pela escola somente para os pais, desde boletim dos filhos à datas de reuniões com os professores ou gestão escolar. Tudo também em um canal privado.
  3. Para os alunos: em um canal para alunos há muitas possibilidades e isso depende da criatividade de cada professor e/ou aplicações da gestão escolar. Por exemplo, um repositório de atividades cai muito bem, com direito a cronograma de atividades, agenda, etc.
  4. Para os funcionários (ASG, financeiro, contabilidade, etc.).
Não é nada trabalhoso administrar esses canais de forma separada. Aliás, todos estarão no mesmo dispositivo e conta do administrador.

Cada canal criado tem o seu link personalizado, assim como tenho o meu: https://t.me/ProfEdigleyAlexandre. Com o canal criado, a escola repassa o link pessoalmente para cada professor (semana pedagógica), pais (na hora da matrícula) e alunos (em sala de aula).


Voltar ao índice

Concluindo

Mas professor, muitas escolas já criaram seus próprios aplicativos e gerenciam tudo isso como citado nessa postagem. Sim, porém a maioria dos apps são de terceiros, inseguros, falhos, sem atualizações, lentos na entrega, de péssima qualidade e que ainda custam caro.

E mesmo tendo um app gerenciador exclusivo da escola, por que as escolas usam o WhatsApp? Não sei. Desde que conheci o Telegram venho dando prioridade para ele, tanto em minhas atividades escolares quanto no trabalho que desenvolvo na internet.

O que é bom pode ser melhorado, e com o Telegram tenho a certeza que no quesito de organização, a gestão de uma escola só tem a ganhar.

Dê uma chance ao Telegram.

Com informações de telegram.org.

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Livro GeoGebra é um ambiente do site do GeoGebra que agrupa diversos recursos criados com o próprio GeoGebra em um só lugar. Desde applets 2D e 3D até jogos programados para serem executados dentro do GeoGebra. Esse "livro" possui uma estrutura organizacional que realmente simula um livro, e por isso o ambiente recebeu esse nome.

Um ótimo exemplo que já foi compartilhado aqui está no artigo O melhor GeoGebraBooks para aprender Geometria Plana, criado pelo professor Jorge Cássio. O ambiente é fantástico. Vale apena demais estudar Geometria com esse Livro GeoGebra.

Se você quiser implementar mais elementos em suas aulas além dos materiais básicos criados com o GeoGebra, uma excelente opção é utilizar jogos, desafios e puzzles matemáticos que estimulam o raciocínio lógico de seus alunos.

Quer saber como? Continue a leitura depois da imagem.

Jogos e Puzzles desenvolvidos com o GeoGebra (Livro GeoGebra)

O professor Diego Lieban organizou um extraordinário Livro GeoGebra que acrescenta e muito em nossas práticas didáticas no Ensino de Matemática com a utilização do GeoGebra.

Sobre o autor

Professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Bento Gonçalves e colaborador do Programa de Iniciação Científica para alunos premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

Licenciado em Matemática (2002) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com mestrado (2010) em Matemática Pura pela mesma instituição, na qual também atuou como tutor a distância em curso de especialização em Matemática, Mídias Digitais e Didática.

Área de interesse:

Tecnologias em Educação Matemática (em especial, utilização de softwares de Geometria Dinâmica) e formação de professores. Atualmente cursando o doutorado na JKU - Johannes Kepler Universität, em Linz/Áustria, onde também desenvolve seus trabalhos junto à equipe do GeoGebra.

Sobre Livro GeoGebra - Jogos e Puzzles com GeoGebra

Neste Livro GeoGebra são apresentados jogos e quebra-cabeças como alternativas didáticas para as mais diversas idades. A ideia é disponibilizar um repositório de materiais que sirvam não apenas para jogar e explorar, mas também como inspiração para adaptação e criação de novos jogos.

Conectando recursos físicos e digitais, a proposta visa despertar, para além de questões de combinatória e geometria, competências que estão alinhadas às demandas do século 21, como comunicação, colaboração, criatividade e raciocínio crítico.

Introdução a elementos básicos de programação e integração com novas tecnologias como impressora 3D, por exemplo, também fazem parte da iniciativa. Ainda que muitas das atividades estão originalmente em inglês, você pode explorá-las livremente, visto que são muitas vezes bem intuitivas, ou mesmo utilizar o recurso de um tradutor online caso ache necessário.

Organização do Livro GeoGebra

  1. Jogos (7).
  2. Puzzles (15).
  3. Desafios (9).
  4. Atividades (5).
  5. Ideias para recriar e adaptar (10).

O que precisa para utilizar o Livro GeoGebra?

Não precisa ter o GeoGebra instalado em seu computador ou tablet. Todo o ambiente é online. Obviamente precisará de uma boa conexão de internet e uma boa capacidade de memória RAM para executar os materiais de maneira mais fluida.

Testei os materiais desse Livro GeoGebra em um notebook com apenas 3GB de RAM e uma conexão de internet com 100MB. Mas, creio que 5MB já suficiente.

É recomendável utilizar esse livro em um tablet? Sim, desde que o tamanho da tela fique confortável para exibir todos os objetos.

Acessar o Livro GeoGebra

Clique no botão abaixo para ter acesso ao Livro GeoGebra - Jogos e Puzzles com o GeoGebra.

Abrir livro Apoie o blog Meu GeoGebra

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
O que é o GeoGebra Portable? Resumindo, é a versão do GeoGebra que não precisa ser instalada em um computador para poder ser executada. A vantagem de usar a versão Portable do GeoGebra é que você não precisa sempre levar o seu notebook para onde quer que vá ou ter uma máquina com o GeoGebra já instalado.

Se você não sabe se o ambiente desconhecido que irá ministrar aulas não tem o GeoGebra instalado em suas máquinas, basta se preparar antes, tendo o GeoGebra Portable em um pendrive ou HD externo. Mas tarde o processo de instalação para as versões mais atualizadas pode ser feito.

Sempre carrego comigo um pendrive bootável com o Linux Ubuntu e um espaço reservado para arquivos. Esse espaço é usado para guardar o arquivo do GeoGebra Portable e materiais criados com o GeoGebra.

Como executar o GeoGebra Portable no Linux Ubuntu e seus derivados?

A versão do GeGebra Portable para Windows exige apenas um clique duplo para executá-lo. No Linux também é rapidinho. 😉

Gravei o vídeo abaixo mostrando como como executar o GeoGebra Portable no Linux Xubuntu 18.04 LTS. Logo abaixo dele estão os links para baixar o GeoGebra Portable.


Geogebra Portable

Escolha a versão de acordo com o sistema operacional que irá utilizar.

Linux 32 bits Linux 64 bits Apoie o blog

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Teste seus conhecimentos sobre sistemas de equações polinomiais do 1º grau com duas incógnitas utilizando esse Quiz criado com o Google Formulários. São 10 questões de múltipla escolha e cada uma vale 10 pontos. O seu resultado será exibido assim que responder todas as perguntas e clicar no botão ENVIAR.

Será mostrado seu resultado e também um gráfico mostrando o desempenho geral de todos os participantes. Não precisa responder seu nome e e-mail. Basta abrir o Quiz e começar. Ah, não há tempo cronometrado, portanto pegue papel e lápis para realizar alguns rascunhos.

Quizzes anteriores Apoie o blog
E se quiser aprender a criar esses Quizzes com o Google Formulários criei esse tutorial passo a passo.

Características deste Quiz e dos próximos que postarei

  • Temas variados, obviamente sobre Matemática;
  • Serão sempre 10 questões;
  • Não tem marcação de tempo;
  • O resultado com as respostas certas e erradas só aparecerão no final do Quiz.
Quiz matemático 10: sistemas de equações do 1º grau

Responder Quiz Quizzes anteriores

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Esse widget online criado com a plataforma Wolfram | Alpha. Ele fatora qualquer trinômio (quadrado perfeito ou não), mesmo quando as raízes são complexas. Basta apenas você informar a expressão e clicar em um botão.

Dominar o processo manual é muito importante. Este widget não tem a função de responder todas as suas perguntas com base em alguma consulta, mas auxiliá-lo na verificação de soluções e compreensão quando se resolve equações polinomiais de segundo ou terceiro grau.

Ele servirá apenas com uma ferramenta que comprovará os resultados obtidos de forma manual.

Calculadora para fatorar trinômios

Abrir Widget Outros Widgets

Exemplos de trinômios para digitar no campo do widget:
  • x^2+2x+1 $\Rightarrow$ Quer dizer: $x^{2}+2x+1$
  • x^2-4x+5 $\Rightarrow$ Quer dizer: $x^{2}-4x+5$
  • x^2-3x-9 $\Rightarrow$ Quer dizer: $x^{2}-3x-9$

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
A versão mais recente da extensão TexMaths (0.46) para o LibreOffice 6 trouxe uma atualização muito bacana para quem quer ganhar mais tempo na hora de editar seus trabalhos e provas de Matemática usando linguagem Latex.

Em vez de digitar comando por comando (gosto muito) no editor do TexMaths, você agora pode clicar no botões disponíveis na parte superior da extensão e gerar mais de 300 símbolos em Latex. Finalizar um documento ficou mais rápido com o TexMaths.

A extensão TexMaths 0.46 foi instalada no LibreOffice 6, com o Linux Xubuntu 18.04 LTS. Se você usa o Windows, por favor leia o artigo Dica rápida de como executar a extensão TexMaths com o LibreOffice Writer 6 para Windows.

Escreva em Latex com o Texmaths 0.46 no LibreOffice 6 sem saber nada de Latex

Sobre TexMaths 0.46

Esta versão adiciona dois recursos principais. Primeiro, a janela principal agora tem oito guias que permitem inserir facilmente mais de 300 símbolos LaTeX. Em segundo lugar, o suporte XeLaTeX foi adicionado. Traduções brasileiras e espanholas também foram atualizadas.

Compatibilidade

LibreOffice 6.0, LibreOffice 5.4.

O que melhorou?

  • Corrigido um problema com os caminhos do programa.
  • Atualizado para a versão Português brasileiro.
  • Atualizado para a versão em espanhol.
  • Corrigido alguns erros no diálogo de ajuda.
  • Adicionado caixa de mensagem para erros do LaTeX.
  • Os caminhos do diálogo SysConfig são agora caminhos de arquivos absolutos. Isto permite obter uma versão diferente dos programas externos no sistema.
  • Adicionado suporte ao XeLaTeX.
  • O nome da fonte do editor agora pode ser alterado a partir do diálogo TexMaths Config (dentro da aba Options).
  • Adicionado 8 abas com botões para inserir código para mais de 300 LaTeX símbolos.

Como instalar o TexMaths no LibreOffice 6?

Esse procedimento foi realizado no Linux Xubuntu 18.04 LTS.

Logo abaixo escolha um dos servidores e faça o download da extensão TexMaths.oxt para o LibreOffice Writer 6.


4SHARED DROPBOX GOOGLE DRIVE BOX MEGA

Para instalar a extensão, siga estas etapas:
  1. Baixe a extensão e salve-a em qualquer lugar no seu computador.
  2. No LibreOffice, selecione Ferramentas >> Gerenciador de extensões (Ctrl+Alt+E) na barra de menus.
  3. Na caixa de diálogo Gerenciador de extensão, clique em Adicionar.
  4. Uma janela do navegador de arquivos é aberta. Navegue até a pasta onde você salvou o arquivo de extensão do LibreOffice no seu sistema. Os arquivos da extensão têm a extensão de arquivo 'OXT'.
  5. Encontre e selecione a extensão que você deseja instalar e clique em Abrir.
  6. Se esta extensão já estiver instalada, você será solicitado a pressionar OK para confirmar se deseja substituir a versão atual pela nova ou pressionar Cancelar para interromper a instalação.
  7. Depois que você for perguntado se deseja instalar a extensão apenas para seu usuário ou para todos os usuários. Se você escolher a opção Somente para mim, a extensão será instalada apenas para seu usuário. Se você escolher Para todos os usuários, precisará de direitos de administrador do sistema. Neste caso, a extensão estará disponível para todos os usuários. Em geral, escolha Somente para mim, que não requer direitos de administração no sistema operacional.

Para um passo a passo com imagens detalhadas, siga as instruções no artigo Como inserir equações em Latex nos documentos do LibreOffice Writer. É muito fácil e rápido.

Dica importante

A macro TexMaths utiliza alguns programas externos para gerar a imagem da equação (SVG ou PNG). Se depois da instalação, tentar inserir equações e não conseguir, você precisará configurar o sistema do TexMaths.

Feche o LibreOffice 6 (no Linux Xubuntu 18.04 LTS) e siga essas instruções rápidas:
  1. Abra o Gerenciador de pacotes Synaptic.
    1. Se não tem instalado, use esse comando no terminal: sudo apt install synaptic
  2. Clique no botão Pesquise.
  3. Busque o pacote pelo nome de texlive.
  4. Role a página de resultados até ver o nome: texlive-xetex.
  5. Clique com o botão direito sobre texlive-xetex e em seguida clique em Marcar para instalação.
  6. Agora clique no botão Aplicar.
  7. Aguarde encerrar a instalação.
  8. Feche o Gerenciador de pacotes Synaptic.
  9. Abre o LibreOffice Writer 6 e teste novamente a extensão.
Após a instalação, abra novamente o LibreOffice Writer 6 e clique no ícone de ferramentas (Configurações do sistema do TexMaths). Verá essa tela.

Se estiver tudo ok nos diretórios como mostra nessa imagem, comece a escrever alguns comandos em Latex. Na guia Opções você ainda pode configurar: compilador, tamanho da fonte padrão, equações numeradas, alinhamento, quebra de parágrafo, etc.

Veja esse exemplo de documento escrito e renderizado em Latex com o TexMaths 0.46 no LinuxXubuntu 18.04 LTS.

Baixar documento Conheça o LibreOffice 6

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
O Curso de GeoGebra é oferecido pela Universidade Estadual do Paraná UNESPAR – Campus Apucarana, e é totalmente gratuito.

Para se candidatar a uma vaga no curso, os interessados deverão preencher um formulário online com sua solicitação. Esse formulário estará disponível somente em  16 de setembro de 2018 (domingo) das 17h às 19h (horário de Brasília).

14ª edição do Curso de GeoGebra é realizado na modalidade a distância, tendo as vagas limitadas e distribuídas para estudantes de Graduação em Matemática, estudantes de Pós-Graduação Lato ou Stricto Sensu em Matemática, ou Ensino de Matemática ou Educação Matemática, professores de Matemática de todos os níveis de ensino.

É disponibilizado um total de 450 vagas, das quais 440 são para candidatos do território nacional e 10 para candidatos que residem fora do Brasil.

Período de realização do Curso: de 20 de setembro de 2018 à 14 de novembro de 2018.

Mais detalhes sobre período de realização do cursocarga horáriadistribuição de vagas por estadoprocesso de solicitação de inscriçãocalendárioconteúdo programático, etc., acesse o edital com todas essas informações, logo depois da imagem abaixo.

Lançado edital para a 14ª edição do Curso de GeoGebra a distância

Baixar edital - 6 páginas Atualizações
Tamanho do documento: 371 KB | Hospedado no Google Drive

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Não há dúvidas de que a Internet é uma ferramenta extremamente importante nos dias de hoje. Chega a ser difícil pensar da disseminação de informação sem que a Internet esteja diretamente envolvida no meio de transmissão.

São várias as ferramentas disponíveis para a comunicação e transmissão de mensagens na Internet, como e-mail, redes sociais e sites. Mas uma delas tem sido a escolha preferida por quem quer passar conhecimento a frente: o blog.

Além de permitir um ambiente mais interativo com os visitantes, um blog pode ser criado facilmente e o melhor – de graça.

Neste artigo você vai descobrir várias formas de como criar um blog educativo totalmente de graça. Vamos lá?

Como criar um blog educativo de graça
Imagem: freepik.com

Hospedando um blog educativo gratuitamente

Para quem quer criar um blog educativo e ter controle do ambiente que ele está hospedado, podendo realizar qualquer modificação na plataforma – contratar uma hospedagem de sites é uma ótima opção.

Felizmente existem boas alternativas gratuitas para hospedar um site ou blog educativo sem pagar por isso. Empresas como a 000webhost oferecem um plano gratuito com suporte a PHP e MySQL, possibilitando até a hospedagem do WordPress.

No entanto, serviços de hospedagem de sites geralmente são pagos, e se você pretende criar um blog educativo de graça, será preciso fazer alguns sacrifícios.

Vantagens

  • Hospedar qualquer tipo de plataforma de blog, incluindo WordPress; 
  • Personalização completa do WordPress, temas, plugins, etc; 
  • Acesso aos arquivos da hospedagem com gerenciador e FTP; 
  • Hospedar outros sistemas de aprendizagem, como Moodle; 

Desvantagens

  • Não é possível usar um domínio próprio (seunome.com.br); 
  • Anúncios nas páginas; 

Além de poder criar um blog educativo com WordPress em poucos cliques, uma hospedagem é uma excelente ferramenta para aprender como criar um site com outras tecnologias.

Blogger e WordPress

Se você quer criar um blog educativo de graça, você provavelmente já se deparou com essas alternativas.

Blogger e WordPress (do WordPress.com) são as plataformas de blog mais populares em todo o mundo. O destaque para essas plataformas é que elas são completamente gratuitas, e extremamente fáceis de usar.

Criando um blog educativo de graça no Blogger

Criando um blog educativo de graça no Blogger

O Blogger é uma plataforma do Google voltada especificamente para criação de blogs. Ao criar um blog com a plataforma, o seu endereço fica com o subdomínio .blogspot.com.br.

No entanto, é possível associar o seu próprio domínio se você tiver um registrado, sem ter que pagar mais por isso.

Desde que a Google comprou o Blogger em 2003 muitas mudanças foram implementadas ao longo desse tempo. Todo ano surgem novidades. É certo de que ainda falta muito para ela brigar com grandes plataformas disponíveis no mercado.

Se pretende criar um blog apenas com os recursos padrões oferecidos pelo Blogger, sua limitação é clara. No entanto, há diversas possibilidades para que você crie um blog pessoal, para sua disciplina ou escola, de maneira profissional e que muitos nem perceberão que está hospedado no Blogger.

Você diria que o Nintendo Blast está no Blogger? 😉

Se você pretende criar um blog educativo básico ou profissional, em que o foco está para o conteúdo, o Blogger é uma ótima opção.

Vantagens

  • Possibilidade de usar um domínio próprio gratuitamente (o Google oferece registro pago caso não tenha um domínio registrado ainda)
  • Certificado de segurança para blogs com domínio próprio registrado;
  • Integração com outros serviços do Google, como: Analytics, Console, Adsense, etc.
  • Integração com serviços de terceiros, como: Hello Bar, OneSignal, AddThis, Facebook, entre outros.
  • Personalização de cores, temas, layout, etc.
  • Otimização para SEO;
  • Temas nativos responsivos (para desktop e mobile) e velozes;
  • Instalação de temas de terceiros responsivos, otimizados para SEO e velozes;
  • Você pode criar uma loja virtual (template de terceiros);
  • Alguns templates de terceiros oferecem suporte para páginas AMP.

Desvantagens

A desvantagem do Blogger está nos recursos que ele oferece em relação a grandes plataformas, como o Wordpress e seus plugins automáticos.

Criando um blog educativo de graça no WordPress

Criando um blog educativo de graça no WordPress

Para quem precisa de uma plataforma mais avançada e com mais opções de personalização, o WordPress é uma excelente escolha.

Mesmo na versão gratuita, o WordPress é bastante flexível e oferece centenas de templates que podem ser usados gratuitamente.

Diferente do Blogger, no WordPress é necessário pagar para associar um domínio, o que não chega a ser um problema se você não tem o objetivo de criar um site ou blog profissional.

O maior destaque do WordPress fica nas opções avançadas para gestão do conteúdo. Na plataforma você tem um controle para gerenciar categorias e páginas, deixando o blog mais organizado.

Vantagens

  • Sistema de gerenciamento de conteúdo bastante flexível; 
  • Centenas de temas gratuitos para escolher; 
  • Pode ser facilmente migrada para a versão completa;

Desvantagens

  • Exibe anúncios nas páginas; 
  • É necessário pagar para associar seu domínio próprio;

Criadores de sites valem a pena para um blog educativo?

Os criadores de sites, como Wix e Weebly são boas opções para criar um site com facilidade e sem perder tempo. Esse tipo de ferramenta é projetado para quem não tem conhecimentos em informática e que criar um site com o mínimo de esforço.

Um criador de sites pode ser uma boa opção para criar sites ou até lojas virtuais, porque seus recursos são mais polidos para esses usos.

Mas quando se trata de blogs, essas ferramentas podem deixar a desejar, e optar por uma hospedagem ou uma plataforma de blog gratuita acaba sendo mais vantajoso.

Ainda assim, como são oferecidos gratuitamente, vale a pena experimentar para ver se é o que você procura.

Se você é estudante ou professor universitário

Quem estuda ou ensina em universidade e possui um endereço de e-mail “.edu” ou “.edu.br” pode fazer uso de benefícios oferecidos por algumas empresas de hospedagem de qualidade e criar um blog educativo sem pagar nada.

Para hospedagem do blog educativo

No programa de benefícios para estudantes do GitHub, é possível obter quase um ano de hospedagem na DigitalOcean sem pagar nada. No entanto, como se trata de um serviço de VPS, a hospedagem pode exigir algum conhecimento técnico para configuração.

Domínio para criar seu blog educativo

Para quem quer um domínio grátis para criar o blog educativo, a NameCheap tem uma opção perfeita para estudantes. Para quem é estudante, é possível registrar um domínio com a extensão .me gratuitamente por um ano.

Conclusão

Criar um blog educativo não é tão difícil quanto parece e traz vários benefícios, tanto para você para os seus visitantes, que poderão interagir em um espaço aberto para todos os interessados em aprender mais.

Com essas dicas, você já sabe por onde começar seu o blog educativo e compartilhar o seu conhecimento com toda a Web.

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Essa é uma pergunta muita válida e deve ser respondida sempre com muita paciência. No entanto, entre um pensamento e outro, me veio uma indagação depois de ler o comentário abaixo em um dos meus artigos divulgados no Google+, sobre profissões que precisam utilizar a Matemática.

Setor de diretoria, coordenadoria, planejamento, engenharia, etc., usa muito desses conhecimentos, agora se você trabalha na operação, é difícil enxergar a exigência de contas sem uma visão expandida de áreas superiores. [comentário no G+]

Matemática na Prática Apoie o blog

O comentário responde uma pessoa que diz que não adianta estudar a Matemática da escola, se nunca usaremos no dia a dia ou em uma profissão. Em parte, concordo.

Mas, se você não foi um verdadeiro estudante, como seus pais queriam, e:
  1. Mais brincou do que estudou;
  2. Seus pais se preocupavam com os seus estudos mais do que você;
  3. Não era responsável nem para arrumar a sua cama;
  4. Não planejava seus estudos;
  5. "Estudava" 2 minutos por dia;
  6. Só chegava atrasado na escola, mas era pontual para ir ao Shopping;
  7. Copiava trabalhos de outros alunos;
  8. Não tem hábito de leitura;
  9. Só usa a internet para ver porcaria no Youtube;
  10. Diversão sempre foi em primeiro lugar.
E a lista poderia ser mais longa.

O que acontecerá com esse tipo de "estudante" no futuro?

Com um baixo nível de conhecimento é quase que impossível um estudante com o perfil listado acima, conquistar um boa profissão futuramente. E, portanto, é mais impossível ainda ele entender sobre a importância da Matemática em qualquer profissão.

Acontecerá isso (ver imagem para cada número):
  1. Terá esse tipo de pensamento crítico.
  2. Passará vergonha na internet confundindo gramas com miligramas.
  3. Passará vergonha na internet tentando enfiar a mala no compartimento de bagagens de um avião, mostrando todo o seu conhecimento de noção de espaço tridimensional.
  4. A garota do infarto procurando doutor (essa é piadinha de matemático).
  5. O criador desse cartaz faltou as aulas sobre Regra de três simples.





Quando eu vou usar Matemática na minha profissão? NUNCA? 😁

Conheça os profissionais a partir de um número de campos fascinantes que utilizam a Matemática em suas profissões os dias.

Quando eu vou usar Matemática na minha profissão? NUNCA?
Imagem: freepik.com

Os programadores de computador, pesquisadores nucleares, desenvolvedores de jogos, analistas financeiros, físicos, economistas, cientistas, professores, médicos, advogados cripto analistas, analistas de sistemas, atuários e engenheiros, estes são apenas alguns dos profissionais que dependem da Matemática em seu trabalho.

Mas, e o pedreiro, o padeiro, cozinheira, mecânico de autos, eletricista, encanador, etc., não usam Matemática? Ah, usam sim! Mas o nível de estudo dessas pessoas (nem todas) são baixos. Seus conhecimentos foram adquiridos muito mais pela experiência do que pelo estudo e isso não é um demérito.

A questão é que, infelizmente, os menos instruídos (ou não) são os que mais reclamam dizendo: a Matemática não serve para nada ou quando eu vou usar a matemática na minha vida?

A pergunta mais comum dos estudantes aos professores de matemática em todos os níveis é: "Quando eu vou usar a matemática?" WeUseMath.org é um site sem fins lucrativos que ajuda a responder a esta pergunta. Este site descreve a importância da matemática e muitas oportunidades de carreira recompensadoras disponíveis para os alunos que estudam Matemática. [www.weusemath.org]

Você será apresentado a muitos deles neste vídeo.


Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Numa aula sobre comparação de frações, um aluno esquece momentaneamente como identificar qual é o símbolo de "maior que" e o de "menor que". Alguns alunos mais atentos podem até sugerir algumas alternativas, como as citadas logo abaixo. Mas, a última dica que vi no Facebook foi bem legal.

Por exemplo, um dos alunos sugeriu: Esse $(>)$ é o "maior que", fazendo um "V horizontal" com dois dedos da mão direita. Esse $(<)$ é o "menor que", fazendo um "V horizontal" com dois dedos da mão esquerda.

Outro aluno sugeriu: desenhe a reta numérica e veja que os números crescem para a direta $(>)$ (maior que). E os números diminuem para esquerda $(<)$.

Um outro aluno ainda sugeriu: professor, desenhe aí o símbolo de "menor que" $(<)$ e "maior que" $(>)$. Agora risque a parte de baixo dos sinais e veja o que formou. O $(<)$ virou um 4 deitado e o $(>)$ virou um 7 deitado. Essa imagem no Pinterest ilustra bem isso. Essa não conhecia!

Outro aluno: empilhe alguns blocos de Lego fazendo duas colunas e veja qual a coluna menor e qual  a coluna maior. Essa imagem no Pinterest ilustra bem isso. Caso deseje usar essas mesmas imagens em alguma atividade, elas estão disponíveis em PDF logo abaixo.

Baixar agora Apoie o blog

Se você acha bobagem essa preocupação, certamente você não é e nem será um professor de Matemática preocupado com o desenvolvimento do seu aluno. Cada aluno tem sua forma peculiar de aprender. Limitar a sua imaginação é um erro.

E em um livro chinês, como seria?

Significado de "maior que", "menor que" e "igual" em um livro chinês

Essa imagem em PNG Essa imagem em EPS Essa imagem em PDF

Vi a imagem abaixo no Facebook. É um PrintScreen de um livro chinês mostrando uma forma bem simples de entender o significado de "maior que", "menor que" e "igual".

"Maior que" e "menor que" em um livro chinês.

O que achou? Já conhecia? Créditos para o Print Screen da página I see Maths.

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Filmes contendo um pouco de Matemática durante a introdução, meio ou final de um filme já é motivo para matemáticos ficarem de olhos arregalados. Quando o filme aborda sobre a vida de um matemático, ai nem se fala.

Esse post estava escondido entre centenas de rascunhos do blog, desde dezembro de 2017. Só agora tirei um tempo para compartilhá-lo, caso você ache interessante conhecer alguns filmes, que diretamente ou indiretamente há uma abordagem matemática.

Alguns filmes já assisti, outros nunca ouvi falar, obviamente por serem mais antigos. De qualquer forma fica ai a dica para assistir ótimos filmes. Alguns estão disponíveis no catálogo do Netflix.

Depois da imagem, links para as listas de filmes.

172 filmes em que a Matemática aparece (alguns no Netflix)

172 filmes matemáticos 35 filmes matemáticos

As listas foram criadas por math.harvard.edu (172) e a lista de 35 filmes matemáticos, por um membro do IMDB. As listas apenas apresentam o nome do filme, ano de lançamento, descrição curta da Matemática presente no filme e link para o site IMDB.

Sobre os filmes mais antigos, você tem algum ou sabe onde conseguir/comprar? Deixe um comentário nessa postagem ou entre em contato e informe onde conseguiu.

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Em Cálculo (limites, derivadas, etc.) é muito comum em algumas situações analisar o comportamento do gráfico de uma função. Analisar esse comportamento em um  intervalo específico é uma situação que exige uma habilidade e tempo para esboçar desenhos manuais no quadro e explicar para a turma da forma mais simples possível.

Realmente não é uma tarefa fácil.

Com o auxílio do GeoGebra essa tarefa ganha mais agilidade, dinamismo e possibilidade maior de aprendizagem, pois há ainda o recurso interativo, o que é impossível fazer isso em um quadro de sala aula.

Nessa postagem mostro como é simples e rápido criar gráficos de funções limitados por um intervalo com o GeoGebra. Esse recurso é muito útil para destacar uma parte do gráfico que será analisada e "eliminar" as demais partes do gráfico.

Como criar gráficos de funções limitados por um intervalo com o GeoGebra

Não conhece o GeoGebra ainda? Recomendo que leia o artigo Entenda sobre as diferentes versões do software GeoGebra para desktop e dispositivos móveis. Nesse artigo há links para baixá-lo em seu computador ou dispositivo móvel. Visite também a categoria GeoGebra no blog.

Gerando gráficos de funções com intervalos

Estou fazendo esses processos usando o GeoGebra Classic 6 no Linux Xubuntu 16.04.3 LTS, mas você pode realizar os mesmos processos em outras plataformas para desktop e mobile.

1) Execute o GeoGebra.

1) Execute o GeoGebra.

2) No campo de entrada, que verá na parte superior esquerda tela, digite a função de uma variável.

Utilize o exemplo abaixo:
f(x)=x^(3)-x^(2)-2x+3

Cole no campo de entrada e tecle ENTER. Verá o gráfico dessa forma:

2) gráfico da função

3) Use o comando abaixo para inserir o intervalo que limitará a exibição do gráfico.
Função( <Função>, <Valor de x Inicial>, <Valor de x Final> )

Esse comando é auto explicativo.

Troque por:
Função( f, -1, 2 )

Tecle ENTER. Verá o gráfico dessa forma:

3) Intervalo no gráfico da função

4) Ao lado de cada função f(x) (vermelha) e g(x) (azul), tem um círculo com as respectivas cores. Clique nesses círculos para exibir ou ocultar o gráfico da função. Nesse caso, clique no círculo de f(x).

Você verá a figura assim:

4) Gráfico do intervalo

Se quiser exportar os gráficos gerados para usar em documentos, acesse o artigo Como exportar equações em alta resolução no GeoGebra?

Teste com outras funções:
f(x)=x^(2)-5x+6
g(x)=x^(3)+6x^(2)+9x
h(x)=(x-1)/(x^(2))
i(x)=x^((2)/(3)) (6-x)^((1)/(3))
j(x)= nroot(5x-4,3)

Um blog para professores e estudantes de Matemática. Dicas e tutoriais sobre softwares matemáticos, como GeoGebra, LibreOffice e muito mais.
Mesmo que você não seja um leitor assíduo do blog, já deve ter percebido durante suas visitas por aqui, que em meus vídeos e imagens compartilhadas em artigos, o sistema operacional que utilizo no meu dia a dia é o Linux Ubuntu.

Hoje completo 9 anos que abandonei o Windows e passei a utilizar o Linux, a distribuição Ubuntu em específico, e por esse motivo decidi escrever um pouco sobre minha experiência com o Linux.

Artigo escrito em 2014, atualizado em 30 de julho de 2018.

Não foi apenas uma troca de sistemas operacionais, mas uma mudança total de filosofia de uso do sistema operacional, assim como a aquisição/instalação de softwares (incluindo os educacionais). Não entrarei nesta discussão.

9 anos que uso o Linux na minha vida profissional e um motivo para você não usá-lo 😱

Apoie o blog

Neste post escrevi como conheci o Linux Ubuntu (incluindo as pessoas que me ajudaram) o porquê de usá-lo na minha vida de professor e para o meu entretenimento. Este post não tentará convencê-lo a trocar o Windows pelo Linux. Se quiser mesmo dar uma chance ao Linux, leia o artigo 7 razões para professores usarem o Linux.

Como conheci o Linux Ubuntu

Em 30 de julho de 2009 conheci a versão Ubuntu 9.10 Karmic Koala (as novas versões são lançadas a cada 6 meses), através de um colega do curso de Informática no IFRN. No bate papo ele comentava da facilidade e praticidade do sistema operacional Linux, a questão dos drivers, interface personalizável, softwares livres, entre outras atribuições dadas ao Ubuntu.

Como conheci o Linux Ubuntu

Naquele instante já fiquei surpreso em não precisar instalar nenhum programa para poder usar a minha impressora, que aliás era muito problemática no sistema operacional Windows. Já tive que sair de casa para imprimir minhas tarefas, tendo em casa uma impressora novinha e com cartuchos cheios. Logo, essa foi uma das minhas principais curiosidades em conhecer o Linux Ubuntu.

Fiz dezenas de pesquisas durante algumas semanas em busca de informações sobre o Ubuntu. Encontrei muitos blogs/sites especializados, instruções de como eu instalaria e configuraria o sistema. Para um usuário iniciante me saí muito bem, graças a:
  • Ubuntued;
  • Ubuntu Dicas;
  • Br-Linux;
  • Ubuntero;
  • As comunidades regionais do Ubuntu;
  • Fóruns do Ubuntu-BR;
  • André Gondim;
  • Olívio Farias;
  • Entre outros.

Destes, quero destacar uma pessoa em especial, o André Gondim, falecido em 2011. Ele foi a primeira pessoa que se dispôs a me ajudar com dicas sobre o Ubuntu, através de bate papos no Facebook. Infelizmente o Facebook não gravou este registro. Apenas o acompanhando pela internet, notava-se seu jeito engraçado de lidar com as pessoas, sempre de bom humor e pronto pra ajudar. Seu antigo site: andregondim.eti.br (obviamente fora do ar).

Diversos sites noticiaram seu falecimento:

O gaúcho André Gondim, era coordenador da equipe de traduções do Ubuntu no Brasil, fazia parte do Conselho Ubuntu Brasil e entusiasta do Software Livre. Uma pessoa muito querida pela comunidade Linux, que perdeu a luta pela vida depois de complicações após um transplante.

O linux e a minha vida de professor

Sou um entusiasta da tecnologia da informação e comunicação aliada a Educação Matemática e faço deste tema, um degrau de acesso à aprendizagem de estudantes de nível fundamental, médio e superior, dando a minha pequena contribuição.

O linux e a minha vida de professor

Seja através de um artigo de opinião, review de softwares e aplicativos para dispositivos móveis, o meu objetivo é tratar a Matemática de maneira interligada com a Informática. Para isso, o Linux é uma das melhores plataformas para se trabalhar em prol da Educação, independentemente da disciplina. Um bom exemplo é o Linux Educacional.

É certo que os outros sistemas operacionais, como o Windows, contribuem para Educação e Educação Matemática através de ótimos softwares. O diferencial do Linux, é que ele oferece uma gama de aplicações livres para trabalhar com a Educação em diversas disciplinas. Os softwares por serem livres, isto é, seus códigos fontes são abertos (Open Source), há uma comunidade de programadores e tradutores que trabalham constantemente para atualizar e corrigir erros, deixando o software cada vez melhor.

O melhor exemplo é o GeoGebra. O melhor Software Livre educacional voltado para diversas áreas de exatas. Com muita criatividade é possível trabalhar com centenas de conteúdos matemáticos interativos através de applets interativos para o desktop, tablet ou online via navegador de internet.

O ambiente do Ubuntu não deixa nada a desejar em relação a outros sistemas operacionais. O que deixa a desejar é a sua vontade de querer aprender a usar um novo sistema: seguro (nem uso anti vírus), gratuito, fácil de usar, com a sua cara e suporte gratuito.

Para as minhas atividades como professor de Matemática, as soluções livres são:
  • Edição de planejamentos, projetos, avaliações e qualquer documentos em texto - LibreOffice Writer;
  • Apresentações em slides - LibreOffice Impress;
  • Planilhas de notas e diários eletrônicos - LibreOffice Calc;
  • Editor de equações - LibreOffice Math;
  • Desenho vetoriais e gráficos 3D - Libreoffice Draw;
  • Desenhos geométricos interativos e gráficos - GeoGebra;
  • Plotagem de gráficos de funções - Kmplot;
  • Edição de imagens - GIMP 2.8;
  • Edição de imagens e documentos vetoriais: Inkscape;
  • Edição de arquivos em PDF - ModPdf;
  • Digitalizador de documentos - XSane;
  • Gravador de desktop - RecordmyDesktop;
  • Navegador de internet - Chrome, Firefox e Chromium.

Estes programas são instalados com alguns cliques e nenhum linha de comando. Antigamente era uma tortura para extrair um simples arquivo compactado. Hoje a facilidade é enorme.

Para o meu entretenimento

O Ubuntu tem aplicativos nativos e dispõe de uma lista enorme de jogos para a sua diversão. Xadrez, Mahjongg, Sudoku, etc. Para jogos avançados utilizo o Steam para Ubuntu. Para Música (não vivo sem) utilizo o Spotify.

Meu desktop em julho de 2014
Meu desktop em julho de 2014 - Clique para ampliar

Meu desktop em 2015-05-15 19:30:51 - Clique para ampliar

Meu desktop em 2016-04-28 20:49:00 - Clique para ampliar (Ubuntu 16.04 LTS)

Meu desktop em 2017-03-30 20:54:56 - Clique para ampliar (Ubuntu 16.04.2 LTS)
Meu desktop em 2018-07-30 21:29:54 - Clique para ampliar (Xubuntu 16.04.3 LTS)

Quer conhecer o Linux?

O que é necessário para instalar o Ubuntu? Como instalar? E como configurar o Ubuntu? Toda e qualquer dúvida, basta pesquisar nos sites sugeridos aqui no blog. Eles te ajudarão muito sem problema algum. Seja curioso e será surpreendido.

Principais sites e blogs sobre Linux que leio atualmente:

Há um tempo atrás você poderia receber um CD/DVD gratuito do Ubuntu em casa, através do www.ubuntu.com/shipit. Infelizmente este serviço foi desativado, por conta do enorme crescimento do Ubuntu no mundo. Hoje, só baixando pelo site do Ubuntu ou em blogs especializados.

CDs que recebi do site do Ubuntu
Ampliar imagem

E qual o motivo para você não usar o Ubuntu, que citei no título do post? A tirinha abaixo responde.

Um dos motivos para não usar Linux
Amplie a imagem

Viva o Linux!