Todos curtiram suas férias merecidas com tudo que tem direito. Agora está na hora de voltar à rotina de estudos.
Todos curtiram suas férias merecidas com tudo que tem direito. Agora está na hora de voltar à rotina de estudos. Não é fácil voltar às aulas empolgados e dispostos para cursar mais quatro bimestres intensos de muita leitura e estudos.

Imagine a situação de ter que assistir duas ou três aulas de Matemáticas às 7 horas da manhã. No meu caso, darei 3 aulas consecutivas no turno vespertino (risos). Já fui aluno, sei como é.

Neste artigo, destaco algumas dicas como driblar os primeiros dias do ano letivo e como se motivar para estudar Matemática e obter bons resultados durante o ano inteiro. Antes de tudo quero registrar que obter boas notas não deve ser encarado como fator motivador.

Leia também: Como se motivar para estudar Matemática no final do ano letivo?

Como se motivar para estudar Matemática no início do ano letivo?

1 - Cronograma de estudos

Organizar um cronograma de estudos específico para Matemática, é um dos primeiros passos que deve ser tomado, afim de gerenciar todo o tempo disponível para estudos e entretenimento pessoal. Neste cronograma você deve anotar horários específicos para se dedicar a estudar os conteúdos de maneira programada e assídua, de acordo com o andamento da disciplina. E, é claro não deixar de fora seus horários pré-estabelecidos pela escola, para atividade física e suas atividades pessoais fora da escola.

2 - Grupo de estudos

Uma das melhores formas de estudo, que inclusive é adotada por universitários. Montar grupos de estudos é uma forma prazerosa de estudar com os colegas e amigos da mesma classe, onde uns ajudam os outros naquilo que sentem maior dificuldade. As reuniões podem ser programadas de acordo um cronograma, como citado anteriormente, que pode ser usado para melhor distribuição do tempo. O número de estudantes para os grupos de estudos variam de 3 a 7 pessoas. O local deve ser escolhido seguindo alguns critérios, caso as reuniões não sejam na escola (biblioteca ou sala de estudos). Esses critérios deve-se levar em conta, principalmente, o nível de barulho na casa escolhida para reunir o grupo e um espaço adequado para isso.

3 - Leia mais

Manter o hábito da leitura é sempre bom, para a Matemática não é diferente. É importante expandir o que é estudado em sala, pesquisando sobre novos autores e os assuntos que mais lhe atraem. Não espere apenas pelo que o professor ministra em suas aulas. Muitas vezes um determinado conteúdo matemático pode se tornar mais atraente de acordo com a linguagem adotada pelo professor e as aplicações matemáticas por ele abordadas. Recomendo sempre que inclua na leitura diária tópicos sobre a História da Matemática, biografias de grandes matemáticos e seus fantásticos feitos.

4 - Motive o seu professor

Parece um absurdo, mas acredito que grande parte da motivação de um professor em sala de aula, se deve as contribuições dos alunos durante as aulas que ele ministra. Particularmente, a maioria das inspirações que tenho vêm dos meus alunos, na forma de questionamentos sobre teorias matemáticas, de física, astronomia, enfim, todas as curiosidades que eles "jogam" durante uma discussão. As respostas podem ser trabalhadas para as próximas aulas, colocando o aluno para pesquisar sobre suas próprias dúvidas, e, por fim, gerando mais um debate construtivo, divertido e matemático.

Motivar o seu professor, é não se satisfazer com as suas aulas. É nunca se satisfazer com a primeira explicação sobre equação do 1º grau, exposta no quadro. É questionar como o professor expõe suas aulas teóricas e práticas. É incentivá-lo para buscar novas fontes de aprendizado para seus alunos.

Professor motivado é garantia de aula divertida, sem perder o foco na aprendizagem.

Essas dicas podem surtir efeitos positivos se aplicadas do início ao final do ano letivo. E você como encontra motivação para estudar Matemática?

Será que a motivação para estudar Matemática, vem do nível de quociente de inteligência de um estudante? Ou, se um aluno consegue entender cálculos matemáticos, consequentemente ele se motivará mais, pelo fato de ter habilidades com os números?

Escreverei sobre esse tema em outro artigo.

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: