Uma prova é um argumento matemático rigoroso que demonstra, inequivocamente, a verdade de uma determinada proposição. A expressão matemática que tem sido provada é chamado de teorema.
Uma prova é um argumento matemático rigoroso (baseado em um conjunto de axiomas) que demonstra, inequivocamente, a verdade de uma determinada proposição (conjectura). A expressão matemática que tem sido provada é chamada de teorema.

Dependendo da complexidade de tentar provar uma conjectura, sua demonstração (prova) matemática pode acarretar dezenas, centenas ou até milhares de páginas. Como a demonstração do Último Teorema de Fermat, por Andrew Wiles em 1994; e a de Gregori Pirelman, que demonstrou, em 2010, a conjectura da Geometrização de Thurston, mais conhecida como a Conjectura de Poincaré.

A maior prova de Matemática conhecida até então é gigantesca. São 15.000 páginas de cálculos e ainda com um guia de 1200 páginas.

Qual é a maior prova de Matemática na história da humanidade?

Maior não quer dizer mais importante, é apenas um fato curioso que é bom se entusiasmar. Se quiser concluir sua própria demonstração, há outros problemas matemáticos famosos ainda em aberto.

De quebra você pode ainda ganhar um prêmio milionário. Mas, será que um matemático se preocupado com dinheiro? E fama? Ou simplesmente com a aplicabilidade de sua prova?

Dê a sua opinião nos comentários deste post.

Mais detalhes, em newscientist.com.

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: