Não basta usar os recursos tecnológicos para projetar em uma tela a expressão "2 + 2 = 4". Você pode escrever isso no quadro negro, com giz.
Sou um grande incentivador do uso de aplicações tecnológicas em sala de aula e tento dar minha pequena contribuição compartilhando alguns artigos no blog sobre esse tema. Afinal, este é o assunto central deste blog. Compartilhar ferramentas educacionais informatizadas que possam auxiliar no ensino-aprendizagem.

O desafio de aliar tecnologia e educação

Encontrei na Veja online, uma entrevista do coordenador de comunicação e informação no Brasil da Unesco, braço da ONU dedicado à Ciência e à Educação, Guilherme Canela Godoi, cedida em 2010, mas ainda muito atual, onde ele responde questões sobre como aliar tecnologia e educação.

Ainda não conseguimos desenvolver de forma massiva, metodologias para que os professores possam fazer uso dessa ampla gama de tecnologias da informação e comunicação, que poderiam ser úteis no ambiente educacional. [Guilherme Canela Godoi em veja.abril.com]

Creio que, ainda em 2012, os passos continuam lentos, mas o caminho está na direção certa.

É certo que a falta de habilidade com as novas tendências tecnológicas deve-se muito aos governos que não capacitam seus professores. Aqui, no RN, há alguns anos, o estado doou um notebook para cada professor efetivo em atividade, mas percebi que muitos professores não usam essa ferramenta para seus devidos fins. De que adianta dar a ferramenta e não capacitar todos para o melhor uso dessa ferramenta?

O desafio começa na plataforma que alguns governos adotam para aplicar as inovações necessárias para o ensino nas escolas. Essa implementação deve-se é claro a uma série de fatores que não convém citar agora.

O sistema operacional adotado pelo governo do RN e que foi implantado nos notebooks ofertados gratuitamente aos professores é uma distribuição baseada no núcleo Linux e junto com ele um excelente material didático para todas as disciplinas. Ora, se com o sistema operacional mais usado no mundo (Windows), ainda é uma dificuldade a implementação destas tecnologias, imagine quando se tem em mãos um sistema operacional que não o conhecem bem. Mesmo assim não serve como desculpas.


Muitos professores me procuraram (por saberem que tenho algumas habilidades na área de informática) para que eu formatasse o Linux e instalasse o Windows, e o pior, uma versão pirata. Claro que não fiz isso. Até porque sou um entusiasta do mundo Linux, Open Source e contra pirataria.

Aqui em Mossoró-RN, a maioria das escolas tem um laboratório de informática todo equipado, seja escola estadual, municipal ou privada. O problema é que os professores não são capacitados a usarem esse benefício tecnológico em suas próprias aulas. Creio que não é por falta de exemplos e grandes ideias.

Por outro lado também imagino que há um pouco de acomodação. O mundo de hoje tão informatizado, nos proporciona uma infinidade de conteúdo, a um piscar de olhos. Quer biblioteca maior e melhor que o Google? E seus excelentes aplicativos? 

Esta é a geração que está sendo marcada pela tecnologia móvel mais avançada do que nunca. Os Smartphones, Tablets e a SmartTV é uma realidade palpável e a Educação deve seguir essas tendências.

No meu caso, é imprescindível o uso de tecnologias aliadas a Matemática, tanto nas minhas atividades docentes, quanto nas atividades desenvolvidas para os meus alunos.
O desafio de aliar tecnologia e educação - Guilherme Canela Godoi

Leia a entrevista na íntegra em veja.abril.com.br/noticia/educacao, para ver o ponto de vista de um especialista no assunto.

Trecho da entrevista que mais gostei.
Quais devem ser as políticas públicas para incentivar as tecnologias em sala de aula?

Não basta usar os recursos tecnológicos para projetar em uma tela a expressão "2 + 2 = 4". Você pode escrever isso no quadro negro, com giz. A questão é como ensinar a matemática de uma maneira que só é possível por meio das novas tecnologias, porque elas fornecem possibilidades de construção do conhecimento que o quadro negro e o giz não permitem.

Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: