Pesquisadores investigaram o grau de precisão que um DJ precisa ter para fazer uma transição suave entre as músicas. Descobriram uma relação que vai além da batida da música.
Quem realmente gosta de música e consegue senti-la, independentemente do estilo, começa a fazer algum tipo de movimento espontâneo com o corpo, no mesmo ritmo da batida da música. Para um DJ (disco jóquei em português), o maior desafio é encontrar a batida perfeita entre as faixas de cada música que é executada em seus shows. 

Quando ele consegue fazer isso, seu público continua dançando e curtindo seu som. Caso contrário, tudo que verá é uma pista de dança vazia. A equipe do site The Conversation junto à Universidade de Leeds, pesquisaram o grau de precisão que um DJ precisa ter para fazer uma transição suave entre as músicas. Descobriram uma relação que vai além da batida da música.

DJs usam a Matemática em busca da batida perfeita

Pedimos as pessoas a tocar o dedo a tempo em dois metrônomos simultaneamente. A separação entre os dois metrônomos e a consistência (a previsibilidade dos ritmos) foi variada através da experiência.

Os modelos resultantes desta investigação estão também a ser aplicado a outras áreas, incluindo os movimentos de multidões, como por exemplo em estádios de futebol. Dependendo da intensidade dos movimentos de uma multidão, pode criar problemas com vibração estrutural, por isso é útil para entender como e quando a multidão é provável que comece a se mover em sincronia.

Leia o texto na íntegra (em inglês) visitando o artigo Smart DJs use maths to mix the perfect beat em The Conversation.

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: