Nesta quarta-feira (13/08), durante o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM), será conhecido os contemplados com uma Medalha Fields, o equivalente ao prêmio nobel da Matemática, cedido a cada quatro anos desde 1950 (criada em 1936). Neste ano a premiação acontecerá em Seul, Coreia do Sul. 3 a 4 mil matemáticos estarão presentes neste prestigiado evento de 13 a 21 de agosto.
Nesta quarta-feira (13/08), durante o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM), será conhecido os contemplados com uma Medalha Fields, o equivalente ao prêmio nobel da Matemática, cedido a cada quatro anos desde 1950 (criada em 1936). Neste ano a premiação acontecerá em Seul, Coreia do Sul. 3 a 4 mil matemáticos estarão presentes neste prestigiado evento de 13 a 21 de agosto.

Medalha Fields 2014 tem brasileiros e mulheres (fortes candidatas) na lista de matemáticos

Por que não existe o Prêmio Nobel da Matemática?

Jorge Buescu, em seu texto 2014: o ano em que as mulheres vão fazer História na Matemática, no site Observador, relata que, uma rixa entre Alfred Nobel e o matemático sueco Gösta Mittag-Leffler (um dos maiores matemáticos do tempo de Nobel), fez com que Nobel escrevesse um outro testamento retirando a premiação para matemáticos. O motivo: uma suposta relação extramatrimonial entre a mulher de Nobel  e Mittag-Leffler (candidato natural ao primeiro Prêmio Nobel da Matemática).

Para mais detalhes, leia o texto completo. Não trata penas deste fato, contém outras informações curiosíssimas e que vale muito uma leitura.

How Math Got Its ‘Nobel’

Contrariando estas “fofocas” (risos), o New York Times publicou um excelente texto de um estudante de pós-graduação em história da ciência da Universidade de Princeton, Michael J. Barany, onde ele escreveu sobre o porquê do mito de que Alfred Nobel não incluiu a Matemática no Prêmio Nobel, entregue desde 1901. Leia o texto How Math Got Its ‘Nobel’.

Durante décadas, a Medalha Fields era relativamente obscuro. Em 1950, nenhum dos dois destinatários tinha ouvido falar do prêmio antes de ser dito que ele havia ganhado (...).

As mulheres são as mais cotadas para uma medalha (ou duas)

Segundos rumores baseados em estatísticas fofoquísticas (inventei esta palavra), a iraniana Maryam Mirzhakani (37), da Universidade de Stanford é a mais cotada para levar uma medalha (segundo Jorge Buescu). As francesas Sophie Morel (35), de Princeton, Sylvia Serfaty, da Universidade de Paris 6, Laure Saint-Raymond e a húngara Marianna Csörnyei, configuram na lista das mulheres.

Maryam Mirzakhani

Atualização 2:

Morreu a primeira mulher a vencer o mais prestigiado prémio de matemática. Maryam Mirzakhani, a iraniana que recebeu a Medalha Fields em 2014, tinha 40 anos e ensinava em Stanford, na Califórnia. Mais informações.

Seus trabalhados variam do estudo de Derivadas Parciais, passando por Teoria dos Números à Geometria Hiperbólica.

Atualização 1:

Maryam Mirzakhani, em agosto de 2014, recebeu a medalha Fields, sendo a primeira mulher a ser condecorada com esta medalha.

Os brasileiros

Quatro pesquisadores do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) estarão presentes na cerimônia em Seul. Fernando Codá, Carlos Gustavo Moreira, Mikhail Belolipetsky e Vladas Sidoravicius. Os pesquisadores não estão concorrendo ao Medalha Fields, e sim convidados para palestrar no Congresso Internacional de Matemáticos de 2014.

O quinto brasileiro, é Artur Ávila, também na lista de matemáticos para ganhar uma Medalha Fields.

Atualização: Artur Ávila, em agosto de 2014, foi o primeiro brasileiro a receber a medalha Fields.

De qualquer maneira acredito que deve ser uma honra e tanto participar de um evento deste porte.

Rio de Janeiro sediará o próximo ICM

O próximo Congresso Internacional de Matemáticos será realizado no Rio de Janeiro, com previsão para agosto de 2018, pela primeira vez na América do Sul.

Minha opinião

Ser premiado e reconhecido é muito bom, é ótimo, faz um bem enorme ao nosso ego. Porém, devemos ter em mente que o mais importante e significativo são os resultados apresentados por estes matemáticos do mundo inteiro, que de alguma forma, e por mais abstratos que sejam, refletem em aplicações para a medicina, combate ao câncer, responde questões obscuras do universo e etc.

Medalha Fields

A politicagem está em todo lugar e um prêmio como este que envolve muito dinheiro, não é diferente. Muitos estão ali por dinheiro, muitos por fama, mas os melhores se destacam unicamente por apenas fazer Ciência. É o caso do matemático russo Grigori Perelman, que recusou rebeber uma Medalha Fields em 2006. Falei sobre este fato no artigo O que faz um matemático rejeitar um prêmio de 1 milhão de dólares?.

Não sei o que se passou na mente dele por não querer receber o prêmio (me refiro a honra da medalha). Ninguém é obrigado a receber uma quantia tão grande, ele poderia apenas ser premiado com a medalha e recusar a quantia em dinheiro.

Sua resposta a um jornal:
"O vazio está em toda parte e pode ser calculado, o que nos dá uma grande oportunidade. Eu sei como controlar o universo. Então me diga, por que eu deveria correr para um milhão?"

Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: