Se hoje sou professor é porque me espelhei nos melhores professores que tive. E existe péssimos professores? Sim. Aqueles descompromissados. Neste post no Dia dos Professores, escrevi um pouco sobre os meus professores inesquecíveis, são apenas pequenos fragmentos de memória nos tempos de escola.
Se hoje sou professor é porque me espelhei nos melhores professores que tive. E existe péssimos professores? Sim. Aqueles descompromissados.

Neste post no Dia dos Professores, escrevi um pouco sobre os meus professores inesquecíveis, são apenas pequenos fragmentos de memória dos tempos de escola.

Muitos professores deram a sua contribuição para minha formação inicial de estudante e como cidadão formado. Orientações, ensinamentos sobre a vida, sobre o meu futuro, sobre muitas coisas importantíssimas, que hoje tento "repassar" os ensinamentos para a nova geração, tudo que recebi dos meus professores, que já tive o prazer de revê-los e conviver, na condição de professor estagiário/bolsista.

Dia do Professor: Meu professor inesquecível

Não nego que fico emocionado e registro aqui com o maior orgulho, que todo esse tempo que vivi (pois é o verbo certo a ser conjugado) na Escola Estadual Monselhor Raimundo Gurgel, foram anos inesquecíveis e memoráveis da minha vida. Todos os dias pela manhã, quando chegava na escola para o estágio supervisionado, via todas aquelas crianças, lindas e fardadinhas com suas mães ao lado, esperando a hora do toque para entrarem.

Escola Estadual Monselhor Raimundo Gurgel via Street View
Imagem: Street View

É muito bom olhar para cada cantinho da escola e começar a viajar no tempo, lembrando da minha infância e adolescência vivida ali. Olhar as crianças correndo e brincarem as mesmas brincadeiras da minha época. Todas essas pequenas e simples coisinhas, que, no entanto, foram marcantes recordações que me fazem sentir feliz num clima de nostalgia.

A palavra certa a ser usada é referência, quanto aos professores que tive. 

Quando falamos em Educação, falamos em professores e educadores, duas coisas totalmente distintas para mim e que tenho a convicção do que afirmo, pois sou fruto do trabalho de toda uma equipe escolar integrada, que juntos, tentam formar cidadãos para vida, mediante muita luta e dedicação.

Tive e tenho como referência, várias pessoas que contribuíram para meu crescimento como estudante e como pessoa, que aqui quero deixar seus nomes registrados para posteridade. 

Infelizmente não tenho uma foto de cada um deles e não sei como estão hoje. Porém, os seus frutos estão espalhados pelo mundo.

Professor Evânio (Matemática)

Eu lembro ainda quando ele fazia uns cálculos de divisão por quatro números em questão de segundos e toda a turma ficava rindo dele, tamanha habilidade mental e quando a turma também ficava o chateando, quando o seu time de futebol do qual torce (Botafogo) perdia. 

Adivinha quem foi meu professor orientador durante o estágio supervisionado, na mesma escola onde me formei? O professor Evânio, que alguns anos depois fomos vizinhos de rua e nos aproximamos mais um pouco, quando eu dava suporte para assuntos de informática em sua casa.

Quando ele não podia dar aulas na escola (por conta de algum congresso), me ligava para substituí-lo. Absolutamente foi uma das pessoas que ajudaram a me tornar um professor.

Professora Jandira (Português)

Fui repreendido por ela uma vez e nunca mais me esqueci. Veja só, ela estava conversando com uma pessoa ao lado da porta da sala, aí eu chego interrompendo-a dizendo que “quero tirar a água do joelho” (risos). Fiquei vermelho de vergonha com a repreensão. 

Com esta professora, comecei a perder a timidez que atrapalhava meu desempenho. Peças teatrais e projetos grupais me ajudaram a enfrentar esse medo.

A professora Paula (Inglês)

Seu aparelho dentário que usava na época, que era motivo de piadinhas, pois quando ela ficava brava com a turma ela fazia um biquinho bem engraçado.

Na época do estágio supervisionado foi um dos professores que mais me ajudou com dicas para um aspirante a professor.

Professor Mário (Geografia)

Conhecido por sua voz mansa, pelo menos na minha época (risos). Lembro-me que suas aulas eram sempre motivadoras, pois sempre fazia um paralelo entre os conteúdos ministrados e a nossa realidade daquela época. Era uma pessoa muito querida por todos.

Professora Delva (História)

Era a professor mais carinhosa com os alunos. Abraçava, beijava, etc., exceto quando a turma a deixava com raiva, aí sai de baixo, porque o grito era alto (risos).

Até hoje lembro de suas aulas sobre as principais civilizações antigas, e que hoje falo sobre elas quando o assunto é História da Matemática.

Professora Bernadete (Ciências)

A minha conterrânea de rua e bairro, com ela não se brincava, pois qualquer coisinha, ela mesmo dava o recado lá em casa ou minha mãe ia à casa dela. Também fui aluno de sua irmã, a professora Socorro (na 3ª série), que me fez aprender a tabuada.

Essas duas irmãs, em específico, adotavam um meio muito usado na época e que hoje não se usa muito (ou usa?), que era as chamadas orais, seja de um questionário ou de uma tabuada. Eu só me lembro que era muito divertido e ao mesmo tempo torturante, principalmente quando dava um “branco” na hora e ficava sem responder a pergunta.

Obrigado!

Outros professores, não tivemos muito tempo de convivência escolar, pois já estava terminando o ensino fundamental e naquela época (1998), ainda não havia o Ensino Médio implantado na escola, para dar continuação aos meus estudos.

Alguns destes professores citados, ainda estão lecionando nessa escola e que tive o imenso prazer de trabalhar com alguns destes pela manhã, durante o meu estágio supervisionado.

Este relatos e outros detalhes estão em um Memorial que escrevi, a pedido da minha orientadora do curso, que entrou também no meu tcc.

Para você professor, receba todo o meu respeito e admiração.

Leia outros postagens referentes ao Dia do Professor nos artigos relacionados deste post.
Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: