Há dois tipos de matemáticos nesse mundo, aqueles que se interessam pelas verdades descritas nos números Naturais e aqueles que se deixam levar pelas ilusões da Álgebra e dos "números irracionais", quem se deixa levar pelos irracionais corre o risco de ficar tão irracional quanto eles.
Se eu disser que a Álgebra não faz parte da Matemática, o que você me diria? Que sou louco? Que quero chamar a atenção? Ou, ok! Vamos ler o que esse cara tem a dizer, depois crucificamos (risos).

A Álgebra não faz parte da Matemática!

Em março deste ano compartilhei uma notícia, no mínimo curiosa, e não imaginei que iria levantar um pequeno debate. Entenda melhor lendo o post (notícia) e os comentários no Google+, que aparecem logo abaixo.


Geralmente não participo de debates cujo tema trás mais dúvidas do que respostas (mesmo assim isso é muito bom). Ou quando percebo que as pessoas apontam mais ofensas verbais do que argumentos que sustentam suas ideias. E confesso que fiquei surpreso ao ler estes comentários.

Em vez de comentar no post no google+, resolvi compartilhar essas ideias para um maior números de pessoas, incluindo este feed.

Eu consigo apontar mais perguntas do que ideias que contestam as afirmações de que a Álgebra não faz parte da Matemática.

Há dois tipos de matemáticos nesse mundo, aqueles que se interessam pelas verdades descritas nos números Naturais e aqueles que se deixam levar pelas ilusões da Álgebra e dos "números irracionais", quem se deixa levar pelos irracionais corre o risco de ficar tão irracional quanto eles.

Pelo que vejo a escola pitagórica ainda está viva nos dias de hoje. Isso não é uma coisa ruim. Mas, será que sem a descoberta/evolução de outros conjuntos numéricos, a Matemática teria se desenvolvido tão fortemente?

Imagine que o $\sqrt{2}$, descoberto por um dos seguidores da escola pitagórica, não seguisse seu rumo na história ou que esta ideia morresse ali mesmo, como estaria a Matemática hoje? A classificação dos números relacionada ao cotidiano, teve início com Pitágoras e não poderia morrer ali por conta de ideias quase que filosóficas.



Matemática Retórica (onde os problemas eram resolvidos de forma verbal), a Matemática Sincopada (com uso de abreviações de palavras) e a Matemática Simbólica (com uso de letras e símbolos, por exemplo, para representar grandezas em um dado problema-situação), foram estágios importantíssimos na História da Matemática. O trabalho de Pitágoras foi brilhante, porém, fixar aplicações matemáticas no cotidiano daquela época, permitindo apenas números naturais foi um erro de sua escola.

O próprio desenvolvimento de todas as atividades da época, necessitava de outras ideias, e, que mais tarde foi provada.

A maioria dos matemáticos egípcios e a maioria dos matemáticos indianos, gregos e chineses do primeiro milênio a.C. normalmente resolviam equações por métodos geométricos, como descrito no Papiro Rhind, Sulba Sutras, Elementos de Euclides e Os Nove Capítulos da Arte Matemática. Os estudos geométricos dos gregos, consolidado nos Elementos, deram a base para a generalização de fórmulas, indo além da solução de problemas particulares para sistemas gerais para especificar e resolver equações.

É um exercício difícil pensar que a Álgebra seria desnecessária, principalmente nos dias de hoje, onde praticamente todas as atividades da humanidade são realizadas com a ajuda direta ou indireta da Álgebra.

Leia os comentários por lá e dê sua opinião.
Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

2 comentários:

  1. Do ponto de vista da linguagem usual, a álgebra é, por definição, um ramo da matemática. Assim, a afirmação de que "a álgebra não faz parte da matemática" não faz sentido sem que se atribua explicitamente um (novo) significado para os termos "álgebra" e "matemática". Portanto, para poder haver alguma discussão clara (e racional), o indivíduo que iniciou o comentário deveria explicar o que ele entende por “álgebra” bem como por “matemática” - do contraio, conforme já expliquei - sua afirmação soará tão vaga quanto a afirmação de que "o vermelho não é uma cor". Veja, não estou dizendo que ele está errado; só estou dizendo que ele precisa qualificar o seu discurso. Por exemplo, se eu qualifico "vermelho" como sendo o nome do meu cão, então é verdade que "o vermelho não é uma cor" (pois ele é um cachorro!) Agora, sem esta qualificação, qualquer pessoa vai interpretar a afirmação de acordo com a linguagem usual e, portanto, dificilmente encontrará sentido nela. Acho que este é o meu caso com a frase dele: não vejo sentido, pois estou interpretando “álgebra” e “matemática” de acordo com as definições usuais... Se alguém encontrar sentido nela, me explique!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Meu pensamento também é este. E por pensar assim, é difícil levantar hipóteses do porquê seus argumentos colaboram para o contrário.

      Não sei o ele anda lendo, e tenha o levado a ideias tão antigas.

      Um abraço!

      Excluir