Qual o futuro que a tecnologia pode trazer para a sala de aula? Quais ferramentas que farão parte do dia a dia de professores, estudantes e corpo escolar, num futuro não muito distante?
Qual o futuro que a tecnologia pode trazer para a sala de aula? Quais ferramentas que farão parte do dia a dia de professores, estudantes e corpo escolar, num futuro não muito distante? Esta é uma questão quem vem sendo discutida desde a primeira utilização do termo TICs no contexto da Educação.

Com o avanço grandioso da tecnologia em todo mundo, com as mais diferentes aplicações (computadores, softwares, tablets, smartphones, internet, jogos, etc.), seria mais do que óbvio aproveitar todos esses avanços tecnológicos para melhorar o ensino nas escolas e universidades.

Cada país vê essa necessidade de transição de forma diferente, mas todos são de acordo que a tecnologia deve mudar a forma como as escolas trabalharão em um futuro próximo.

No início da década de 80, havia o anseio de que essa tecnologia poderia produzir a massificação do ensino, descartando a necessidade do professor, ou que pudesse levar a aceleração perigosa de estágios de aprendizagem com conseqüências graves. Argumentava-se também sobre o disparate de usar microcomputadores em escolas que eram carentes de outros tantos recursos. Hoje em dia, no entanto, já há bastante concordância sobre o fato de que a informática deva ser incorporada ao processo educacional. Permanecem, contudo, as dúvidas sobre por que (ou sob qual perspectiva) e sobre como essa incorporação deve acontecer. [Trecho do texto Por que precisamos usar a tecnologia na escola?]

Em 2004, quando cursava a faculdade de Matemática, certo professor sempre dizia para a turma: "Um dia este tipo aula irá acabar. Quadro, giz e um professor na frente da turma será coisa do passado". Naquele ano, ninguém ouvia falar sobre Tablets e Smartphones touchscreen. Bom, pelo menos no Japão e alguns países super avançados, tecnologicamente falando, isso já é uma realidade.

Qual o futuro que a tecnologia pode trazer para a sala de aula? Parte 1

No artigo O desafio de aliar tecnologia e educação há um link para uma entrevista do coordenador de comunicação e informação no Brasil da Unesco, braço da ONU dedicado à Ciência e à Educação, Guilherme Canela Godoi, cedida em 2010, mas ainda muito atual, onde ele responde questões sobre este tema. Vale a pena a conferir.

A tecnologia vai melhorar a educação, mas não substituí-la. [José Cordeiro, Diretor do Projeto do Milênio (Venezuela) e professor na Singularity University, fundada pela Nasa e pelo Google nos Estados Unidos - Leia mais]

Alguns países já caminham a passos largos neste sentido, como a Coréia do Sul, que em 2014 irá abolir os livros de papel em todas as suas escolas: 100% dos alunos sul-coreanos usarão tablets eletrônicos. Um programa de 2 bilhões de dólares conectará todos os alunos da escola primária na internet. Enquanto no Brasil, são bilhões de reais investidos em estádios de futebol para a copa do mundo de 2014.

Em dois artigos, destacarei algumas tecnologias e suas aplicabilidades, que, futuramente farão (ou já fazem) parte da vida de professores, estudantes, do ambiente escolar pedagógico/administrativo, e que revolucionará o ensino/aprendizagem em escolas e universidades.

A primeira tecnologia que escolhi para este primeiro artigo, foi a Cloud Computing.

1. Cloud Computing (computação em nuvem)

Esta tecnologia não é uma das mais recentes, mas suas aplicações ainda não são muitos bem empregadas no ambiente escolar. Esta animação no youtube fará você entender um pouco sobre Computação em Nuvem.

Suas aplicações podem trazer muitos benefícios para pequenas e médias empresas (escolas públicas ou privadas). Existem diversas empresas que oferecem computação em nuvem, como a Intel, a Google, Microsoft, entre outras. Algumas escolas e universidades já trabalham usando uma aplicação desta tecnologia, quando dispõe de um SIGA (Sistema Integrado de Gestão Acadêmica) para alunos, professores e gerência escolar.

A que mais me agrada e que tem o melhor conjunto de benefícios para aplicação em escolas é o serviço da Google (para empresas ou gratuito).

O que seria este ambiente?

Em nossos computadores e notebooks há dezenas de programas instalados, entre eles os editores de textos (Word ou Writer), apresentações em slides (PowerPoint ou Impress), planilhas (Excel ou Calc), entre outras aplicações do Microsoft Office ou Libre Office. O Google dispõe destes mesmos serviços, só que na nuvem (online). Arquivos de textos, apresentações, planilhas, etc., podem ser criados, editados e compartilhados, tudo de forma pública ou privada (ideal para escolas).

Um exemplo prático, seria o uso da Planilha de desempenho escolar (Diário Escolar 2014) no ambiente do Google Drive, criada para professores, alunos e secretaria. Uma escola conectada a um bom provedor de internet, é o primeiro passo para a informatização de atividades escolares, cadastro de alunos, matrícula, notas, frequência, comunicados e demais atividades desempenhadas por alunos, professores e funcionários.

Um ambiente virtual para a secretaria da escola, agiliza a atualização do sistema e facilita o acesso para professores, alunos e funcionários.

Características do Google Drive (antes Google Docs) para aplicação em um ambiente escolar
  • Aceita arquivos de extensão .doc, .docx, .xls, .xlsx, .odt, .ods, .rtf, .ppt, .pptx, .pdf, vídeos, fotos, etc.
  • Os arquivos criados ou enviados para este ambiente, podem ser editados (exceto em PDF) e compartilhados em tempo real, de forma pública ou privada. 
  • Uma ideia de aplicação para este ambiente pode ser dividido entre 3 setores:
    • Acesso restrito à secretaria (setor que administra e atualiza o sistema)
    • Acesso restrito a professores (podem editar e compartilhar documentos, como os diários por exemplo)
    • Acesso restrito aos pais (acompanha o rendimento do aluno e fica por dentro de todas as atividades escolares do seu filho)
    • Acesso  aos alunos (tem acesso apenas a visualização de documentos referente as suas atividades e desempenho escolar)
  • Somente a escola poderia ter acesso aos diários escolares. Ao final de cada bimestre, uma planilha de notas seria compartilhada para todos os alunos e pais cadastrados no ambiente terão acesso direto.
  • O cadastramento é realizado apenas inserindo os endereços de e-mail de alunos, pais e professores, com quem deseja compartilhar um determinado documento e enviar o convite de acesso.

No vídeo logo abaixo, confira como funcionaria este ambiente educacional na nuvem. Assista em HD ajustando a qualidade do vídeo para 720p. O vídeo mostra alguns passos básicos para começar a criar a estrutura de um ambiente online para uma escola.



Aplicação de um ambiente na nuvem para a relação professor x aluno
Há diversas aplicações que podem ser implementadas dando enfoque maior para as atividades desenvolvidas pelo professor para seus alunos. Para as aulas de Matemática não me faltam ideias. O Google Drive pode ser integrado com os vários aplicativos da Chrome Web Store. Acesse a categoria Extensões ou Chrome do blog, para conferir vários artigos que escrevi sobre o tema.

Para outras disciplinas, irá depender da criatividade de cada professor(a).

Continuando neste ambiente, podemos integrar outros produtos da Google afim melhorar a qualidade do serviço com foco nas atividades educacionais em sala de aula, laboratório de informática ou extra sala de aula, que serão desenvolvidas pelos estudantes. Alguns:

  • Google Agenda
    • Organizar um cronograma de estudos específico para uma disciplina, uma agenda de eventos da escola, reuniões pedagógicas, agenda de avaliações por turma em cada bimestre, são apenas algumas situações onde uma boa organização faz toda a diferença. Leia o artigo Como usar o Google Agenda para organizar suas tarefas escolares.
  • Blogger
    • A criação de um blog privado para uma disciplina pode ser uma ótima ferramenta para incentivar o hábito da leitura, a produção de atividades e a interação com o professor visando melhor comunicação. Por exemplo, este blog possui uma área privada somente para meus alunos, em alunos.prof-edigleyalexandre.com. Somente eles tem acesso.
  • Google Play Store
    • Reverter o uso dos celulares e smartphones para o próprio benefício do aluno é uma boa saída, mostrando aplicativos úteis para ser utilizados nas aulas de Matemática, Português, etc. Veja algumas dicas na categoria Android, no blog.
  • Youtube
    • Os alunos podem fazer suas próprias produções audiovisuais, seja ela qual for, e enviar tudo para um canal no Youtube ou numa pasta dentro do Google Drive. Em seguida é só compartilhar a produção para as turmas ou para professores.
  • Hangouts
    • Esta é uma das melhores opções que podemos empregar para um ambiente escolar, com foco direto para a relação professor x aluno. Que tal formar um grupo de estudo sobre uma determinada disciplina, através de uma vídeo conferência? O hangout é um serviço da Google, integrado ao Google Plus, que permite fazer vídeos chamadas e conferências com até 10 pessoas. Mais informações sobre hangouts.


Alguns benefícios do uso da computação em nuvem
  • Baixo investimento inicial em infra-estrutura educacional.
O custo para se montar uma estrutura de gerenciamento escolar com o registro geral de avaliações, notas, trabalhos, projetos de professores e alunos, é baixo e sem mencionar a economia do uso de papel. Um exemplo muito bem aplicado é o e-Arquivo, ótimo projeto idealizado pela Intel. Acesse o arquivo PDF, A Nuvem Educacional: A Educação Disponibilizada como um Serviço, e leia sobre ótimas ideias de aplicações na nuvem.
  • Aumento da produtividade em todos os sentidos. 
Um ambiente totalmente informatizado e na nuvem (para usuários e serviços), aumenta consideravelmente a produção do ensino-aprendizagem. Tomando o ambiente computacional da Google (o Google Drive), podemos aplicar diversas funcionalidades para agilizar a produção de professores, alunos e equipe administrativa/pedagógica, afim obter melhores e maiores respostas do ponto de vista de como anda o desenvolvimento das atividades de alunos e professores.
  • É possível contratar uma infraestrutura específica, para um novo projeto sem a necessidade de instalar um software. 
  • A manutenção é feita pelos próprios fornecedores.

A facilidade e rapidez para se montar um ambiente interativo e dinâmico no Google, depende é claro de uma conta de login (use a sua conta no Gmail). Com uma única conta é possível criar um sistema administrativo completo.

É claro, existem outras tecnologias semelhantes ao Google Drive, atualmente utilizo 5 serviços para gerenciar arquivos neste blog. Cada uma tem suas vantagens e desvantagens, cabe a cada um escolher qual a melhor alternativa para colocar sua escola na nuvem.

Fique a vontade para citar nos comentários, outros serviços de computação em nuvem que se adeque a uma estrutura educacional.

Acesse a 2ª parte desse artigo.

Imagem: hqwide.com.
Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

0 comentários: