A realidade mostra que os pais estão cada vez mais distantes dos seus filhos. E equivocadamente pensam que escola o educará.
Você notou que o tempo já virou desculpa para tudo? Tudo mesmo! Mesmo que possa ser aceitável em algumas situações, está cada vez mais fácil colocar a culpa na falta de tempo.

As prioridades dos nossos alunos estão sendo invertidas e quem sofre mais com isso não é somente o professor, que tenta a todo custo colaborar com a aprendizagem do seu filho, mas, os pais também. As consequências para os deslizes mais simples, geram os problemas mais complexos.

O sonho de todo pai e mãe é ver o filho crescer. Mais tarde acompanhar o primeiro dia na escola, levá-lo para o curso de Inglês, a natação, vê-lo encerrando o nível Fundamental, Médio e em seguida a tão sonhada universidade.

7 coisas que os professores adorariam que os pais ensinassem aos filhos


De todo esse percurso, geralmente, os pais acompanham com mais afinco a fase infantil. Nesse período os pais conferem cada passo do seu filho, como: atividades escolares, agenda, eventos na escola de caráter cultural, etc. Na medida que os filhos crescem, o acompanhamento por partes dos pais diminuem. Raramente se vê algum pai em reuniões escolares ou que realmente não "fiscalizam" o estudo do seu filho durante o Fundamental e Médio.


Sei que não posso generalizar, mas, é o que sinto há mais de 10 anos lecionando em escolas públicas e privadas. O papel da escola está sendo invertido também. Educação moral dos filhos não é função exclusiva da escola, são dos pais.

Acompanhe nos tópicos abaixo, 7 coisas que os professores adorariam que os pais ensinassem aos filhos.

1 - Responsabilidade e independência

Porque ele cresceu e agora é um adolescente, deixá-lo livre não o fará mais responsável e muito menos independente. Pelo contrário, é a fase que precisa de mais atenção.

Responsabilidade e independência

A responsabilidade do seu filho como estudante não deve ser focada apenas em coisas que são favoráveis ao seu desempenho escolar ou em casa. Como um adolescente em constante aprendizado moral, o ato de ser responsável abrange em ter que assumir e reconhecer seus erros também.

Aprender a reconhecer seus próprios erros é um dos primeiros passos para desenvolver o senso de responsabilidade civil, que mais tarde terá que seguir. Os pais devem orientar neste caminho. Acusar sempre e nunca mostrar o melhor caminho não é a melhor maneira de plantar um senso de consciência em seu filho.

Ser um jovem responsável implica em:
  • Ter perspectiva de um futuro melhor mediante a muito estudo e trabalho;
  • Preparar-se para ser cidadão consciente e politizado;
  • Aprende a fazer as melhores escolhas;
  • Entende o que é ser um verdadeiro estudante.
  • E mais.

Um aluno responsável em casa será responsável também com seus estudos. Suas melhores decisões implicarão em seu crescimento pessoal e profissional.

Não existe melhor pessoa para aconselhar seu filho, a não ser você. Seja amigo dele e evitará muitos desgastes futuros.

2 - Respeito para com todos

O ambiente escolar além de ser um local de constante aprendizado, é o ambiente onde há a maior troca de informações entre estudantes de faixa etária próxima. Muitas vezes o compartilhamento destas informações entres alunos causam discordâncias e atritos que podem levar até a agressões verbais e físicas.

Respeito para com todos

Entender e saber respeitar opiniões diferentes sobre diversos temas, é uma tarefa que os pais devem pregar em casa frequentemente e desde cedo. O respeito perante ao professor, ao colega de sala de aula ou o funcionário que cuida da limpeza da escola deve ser o mesmo.

Orientar o filho a respeitar o próximo é dever dos pais. A escola pode contribuir para essa formação moral, mas nunca ser responsável.

Eduque seu filho quanto as diversidades culturais, religiosas, raça, time de futebol (risos), etc. Concordar e discordar de opiniões sempre será um debate sadio, porém, sem o respeito acordado entre ambas as partes o debate pode ser perdido.

3 - Organização e administração do tempo

Este é um dos principais problemas dos nossos alunos. Quem nunca ouviu:
  • Professor, esqueci da tarefa! Posso entregar amanhã?
  • Hoje tem prova? Noooossa, não sabia!
  • Entre outras.

Isso não pode ser encarado como uma normalidade, digna de um adolescente. Toda e qualquer atividade que o aluno desenvolve sem o mínimo de vontade, se deve, em parte, a má organização e administração do seu tempo.

Organização e administração o tempo

Colocar suas atividades escolares em primeiro lugar é um dever do aluno, porém, sabemos que a falta de controle para algumas atividades geram consequências, que a princípio podem ser bobas, e mais tarde se tornam um pesadelo.

Quando esse controle não é feito (ou feito de forma incompleta) pelos pais, algumas consequências são aquelas listadas no início deste tópico.

Uma boa planilha de atividades ou mostrar o melhor uso do smartphone do seu filho, pode trazer resultados melhores. Deixo algumas dicas logo abaixo:

Mostre ao seu filho. A organização não se resume apenas a sua vida escolar, mas também as tarefas de entretenimento.

Ou ainda você pode seguir como este pai fez. Pai posta como calcula a mesada dos filhos e faz sucesso na internet. Vitor Yamada postou uma imagem onde mostra o que ele desconta da mesada dos filhos. A foto já fez sucesso na internet e recebeu mais de 85 mil compartilhamentos.

4 - Iniciativa

Talvez não seja caso geral, mas quando seu filho é responsável e bem organizado, comete de ter iniciativas melhores até mesmo para os seus próprios estudos e consequentemente leva para a sua vida pessoal também.

Iniciativa

Conheci um jovem estudante do IFRN que me deixou admirado com as suas atitudes. Extremamente organizado e metódico em todas as suas atividades de estudante e entretenimento. Ele tem um PS3, smartphone, notebook, TV por assinatura, internet em casa e no celular, faz academia, é monitor no IFRN, etc. Qual adolescente não gostaria de ter isso tudo? Todos. A maioria se perderia e desviada o foco nos estudos?

Como ele concilia tudo isso? Ele tem uma planilha de horários para cumprir e leva muito a sério cada horário (muito sério mesmo). Nunca faz nada fora destes horários. Ele aprendeu sozinho? Não! Seus pais o ensinaram.

E o que esse fato tem a ver com iniciativa? Por ser todo certinho com todas as suas tarefas agendadas, ele levou isso para a sua vida pessoal de tal forma que aplica em qualquer situação.

Por exemplo:
  • Muito raramente chega atrasado em algum evento;
  • Detesta usar artifícios para levar vantagem (ir com a mãe grávida para a fila do banco);
  • Não admite alguém jogar lixo na rua;
  • Se irrita quando alguém fura sinal vermelho;
  • Tem prazer em ajudar as pessoas;
  • Todos aqueles deveres que sabemos decorados e geralmente não aplicamos.

A iniciativa para a vida escolar e pessoal é importante, e se estende por gerações. Filhos responsáveis e com boas iniciativas, terão futuramente, filhos responsáveis e com boas iniciativas.

Não há contradição entre disciplina e iniciativa. São o complemento uma da outra. [Ben Gurion]

Se o seu filho não segue o seu exemplo, coloque o seu espelho mais perto dele, e mostre-o que tomar decisões exige uma iniciativa. E se a iniciativa se torna um hábito comum, a acabativa nunca será esquecida.

Leia Iniciativa e o Poder da Acabativa.

5 - Cumprir com deveres sem esperar nada em troca

Os pais que nunca ofereceram um presentinho em troca de um bom desempenho na escola, que atire o primeiro presente (risos).

Cumprir com deveres sem esperar nada em troca

Cresci assim também. Meus pais sempre me prometiam uma bicicleta, e quando chegava no final do ano, não recebia nada, apesar das boas notas. Só um "não fez nada além de sua obrigação!" é o que recebia.

Naquela época (final da década de 80), oferecer uma bicicleta ou um outro brinquedo, já era motivo para ficar alegre e se esforçar para estudar mais. O que mudou de lá pra cá foram apenas os brinquedos.

Mas sabemos que esta não é a melhor maneira de motivar nossos filhos. Presentar não é errado. Fazer do presente um troféu por um objetivo alcançado, é onde abriga o erro.

Incentive e mostre ao seu filho com exemplos reais, que ter todas as condições para estudar já é um presente pra si próprio. Mostre-o que o seu aprendizado é o seu verdadeiro presente e ninguém poderá arrancar isso dele.

Creio que você já ouviu ou leu o negrito acima diversas vezes e lhe parece uma ideologia barata e que não funciona mais. Talvez não funciona com mais frequência, porque está cada vez mais difícil de educar nossos filhos em casa e isso transcende para a escola também.

Dizer para crianças ou adolescentes que é bom estudar e que terá um futuro melhor, não é suficiente. O ato de inspirar nossos filhos e motivá-los, começa em casa, continua na escola e leva-se para a vida toda.

6 - Ser um verdadeiro estudante

Mostre ao seu filho que frequentar a escola todos os dias não faz dele um estudante, e sim um frequentador de qualquer estabelecimento de ensino.

Mostrar o que é ser um verdadeiro estudante

O verdadeiro estudante é aquele que, através de seus esforços, busca respostas para os seus questionamentos e curiosidades, baseando-se em suas pesquisas orientadas por seu professor, levando em consideração os erros e acertos de ambas as partes.

Mostre ao filho que ser um verdadeiro estudante implica em:
  • Preocupar-se com os seus estudos, sem se preocupar com cobranças dos pais;
  • Demonstrar responsabilidade, estudando em casa regularmente sem a cobrança de ninguém;
  • Planejar seus horários de estudos;
  • Estudar mais ou menos 4 horas por dia (com pausas), como se houvesse uma prova marcada para o dia seguinte;
  • Estudar durante as aulas sem a cobrança de professores;
  • Ter um bom diálogo com o professor;
  • Não conversar com colegas vizinhos em sala de aula;
  • Fazer anotações rápidas durante a aulas;
  • Ser pontual com as suas tarefas escolares;
  • Não se esforçar para obter boas notas, objetivando apenas um prêmio;
  • Se esforçar para obter notas melhores afim de quantificar e qualificar seus esforços;
  • Ter o prazer de ajudar seus colegas que tem dúvidas com algumas disciplinas;
  • Não costuma faltar aulas por bobagens;
  • Ter o hábito de leitura (diversos temas);
  • Não usar a internet apenas para diversão, mas também para seus estudos;
  • Consegue conciliar os estudos com o seu entretenimento, sem perder o foco;
  • Estudar em grupo.

Leia mais:

7 - Prazer em compartilhar o que aprende

Compartilhar aquilo que se aprende dentro e fora da escola é uma lição que deve ser levada para a vida toda. Mas, o que adianta deter tanto conhecimento e não poder compartilhá-lo com outras pessoas?

Prazer em compartilhar o que aprende

Mostre-o que uma das melhores formas de aprender e crescer mais, é justamente ensinando o que aprendeu. Compartilhar conhecimento é uma atitude digna de uma pessoa admirável.

Incentive seu filho a estudar em grupo. Mostre-o que ele pode compartilhar um conhecimento que domina com facilidade, e que por outro lado, pode aprender sobre outra área que não domina tanto. Assim é o compartilhamento de conhecimentos.

Nenhum grande cientista na história da humanidade conseguiu realizar seus grandes e geniais feitos sozinhos.

Se vi mais longe foi por estar de pé sobre ombros de gigantes. [Isaac Newton]


Mais dicas

Acesse 8 dicas para criar um filho responsável.

Este texto foi inspirado lendo o ótimo artigo 10 coisas que toda professora adoraria que você ensinasse ao seu filho do ótimo blog Bagagem de Mãe.

E o que você acrescentaria? Deixe sua opinião na sessão de comentários deste artigo.

Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

10 comentários:

  1. Saudações professor, essas dicas indispensáveis são realidades que dá mais eficácia na metodologia de ensino dentro e fora das salas de aulas, parabéns por esse exelente trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alexandre!

      É verdade. A realidade com os nossos filhos em casa e na escola vem mudando para um caminho cada vez mais irreversível (não sei se tem volta).

      Não há outra saída, sem o apoio dos pais. A educação moral e formal devem caminhar juntas.

      Abraço!

      Excluir
  2. Muito bom para ler com a turma ou o filho e a filha... Para dar incentivo para estudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mayko!

      Sempre que posso faço isso com as minhas turmas. De alguma essa leitura deve auxiliar. O bom mesmo é a leitura e a prática.

      Um abraço!

      Excluir
  3. Essas dicas deveriam ser regras para todas as reuniões de pais. Precisamos mesmo da participação mais intensa dos pais na vida de seus filhos para que esses sejam bem melhores e filhos de sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Simone!

      O texto aborda sobre orientações que os pais esquecem ou deixam de aplicar aos seus filhos. No entanto, mostra em seu contexto que a conscientização começa pelos próprios pais, quando refletem que tipo de filho querem deixar para o mundo.

      A educação sempre começa em casa. A falta de atenção para carreira escolar do filho desde cedo, trará prejuízos para o seu futuro.

      Obrigado por vir aqui.

      Um abraço!

      Excluir
  4. Olá Prof. bom dia, li sua postagem e gostei demais...
    Realmente a relevância é grande no que diz respeito aos desejos de todo professor quando se pensa na educação de qualidade aos alunos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leonardo!

      Sim. É uma pena muitos dos pais não pensarem que a sua participação tem uma relevância enorme.

      Abraço!

      Excluir
  5. Olá Prof. Edigley, recebo suas publicações em meu e-mail, tenho um simples blog no qual publico e compartilho conteúdos de diversos seguimentos, entre eles a "educação", gostaria de saber se posso publicar e compartilhar suas publicações em meu blog?

    Abraços!

    Prof. Leonardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo,

      Pode sim, mas deverá tomar cuidado quanto ao plágio. Os artigos que compartilha em seu blog não pode ser uma cópia na íntegra de todo o conteúdo que achou em outro blog ou site.

      A forma mais indicada de fazer isso é escrever pequeno texto com as suas próprias palavras e em seguida indicar o link do artigo original para que o leitor possa ler o restante do texto. Também é importante escrever outro título para o conteúdo que quer compartilhar.

      Copiar um conteúdo completamente e ainda o seu título, gerará um artigo duplicado na internet e quem sai perdendo é quem compartilhar conteúdo assim.

      Portanto, se desejar compartilhar os conteúdos deste blog de forma correta, atente para esses fatos importantes.

      Para mais informações recomendo que leia os artigos sobre plágio do Gerenciando Blog.

      Obrigado por vir aqui.

      Um abraço!

      Excluir