Sorteio de um exemplar do livro "A História da Matemática" de Anne Rooney


Compartilhe esse artigo:


Acompanhe e tente me entender porque é tão desafiador ensinar Matemática de acordo com o sistema de ensino atual. Os pequenos detalhes são os mais surpreendentes.
Talvez você já tenha escutado essa pergunta algumas vezes. E se estiver de saco cheio de ouvi-la, talvez não gostará de ler esse texto e as leituras complementares. Mesmo você tendo um doutorado, um mestrado ou apenas a graduação mais uma especialização, o desafio de ensinar Matemática estará sempre presente em suas atitudes docentes, por mais que você acredite fielmente que quanto mais títulos tenha, melhor serão as suas aulas (salvo exceções).

Na prática, enquanto universitário, só vi o contrário. Quanto mais alto era o nível acadêmico do professor, mais medíocre eram as suas aulas.

Aluno: é muito difícil aprender Matemática!
Professor: é muito fácil ensinar Matemática!

Você percebe esse embate? Independentemente se ambas as partes estão dispostas e colaboram para o ensino aprendizagem, o desafio de ensinar Matemática é prazeroso, porém, se mostra complexo quando os alunos fazem perguntas que fazem você repensar sobre sua forma de ensinar. Essa forma vai desde a escrita matemática à linguagem que utiliza no dia a dia com os alunos em sala de aula.

Como professor de Matemática vou puxar para o meu lado e mostrar em apenas uma situação onde ensinar Matemática revela ser um desafio constante e que muitos professores não percebem isso ainda. Pense bem na pergunta que trago no título desse artigo e deixe sua opinião no fomulário linkado no botão abaixo. Sua opinião completa pode ser deixada na sessão de comentários dessa postagem.

Responder agora Apoie o blog

Essa pergunta surgiu em sala quando explicava a propriedade distributiva da multiplicação em relação a adição envolvendo monômios (8º ano). Durante a explicação de um exemplo, um aluno me chamou a atenção quanto a minha explicação sobre essa propriedade e imediatamente pensei na pergunta que escrevi no título desse post e na resposta ao mesmo tempo. Como não posso gravar um vídeo mostrando essa situação, editei duas imagens para explicar essa situação.

Acompanhe e tente me entender porque é tão desafiador ensinar Matemática de acordo com o sistema de ensino atual. Os pequenos detalhes são os mais surpreendentes.

Situação em sala de aula

Como já disse anteriormente, durante uma aula  sobre a propriedade distributiva da multiplicação em relação a adição envolvendo monômios (8º ano), um aluno me chamou a atenção quanto a minha explicação sobre essa propriedade.

Como expliquei:

Situação 1: como expliquei

Como o aluno entendeu:

Ao explicar a distributividade mostrada na imagem acima utilizando as setas (esquerda para direita), o aluno imaginou que estava apenas multiplicando o $x^{2}$ com o $y$, pois realmente a seta "sai" de $x^{2}$ e "cai" em $y$.

Por curiosidade, peguei o seu caderno para ver suas tarefas respondidas e advinha a surpresa que tive? Todas as respostas que envolviam a distributividade com monômios, ele respondeu dessa forma, multiplicando quem está "apontando" para quem.

Mas, professor! Isso está claro nos conceitos e definições sobre o conteúdo. Sim! Mas, cada aluno tem uma forma diferente de enxergar uma explicação falada, escrita ou gestual.

Como corrigi:

Situação 1: como corrigi

E na próxima explicação utilizei uma barra horizontal em cada monômio que está sendo multiplicado, juntamente com as setas (da mesma cor).

Conclusão

Cada aluno entende de uma forma diferente. Respeitando suas particularidades, é possível fazer com ele aprenda os conteúdos matemáticos sem haver confusões.

Outras situações

Recomendo que leia o artigo Os 7 erros mais comuns de quem tenta aprender Matemática e acaba falhando.

Ler artigo

Conclusão final

No artigo Professores, organizem sua escrita matemática, alerto sobre como escrevemos simbologias matemáticas durante as aulas e as suas consequência quanto ao seu entendimento. Tanto a escrita como a linguagem que adotamos em sala de aula pode trazer benefícios, mas, também confusões de interpretações.

O desafio sempre existirá e cabe ao professor se policiar quanto a isso.

Segue algumas sugestões de leituras complementares:

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

2 comentários:

  1. Fantástico. Outro erro muito comum (e que me deixa furiosa) é quando vejo colegas ensinando que "menos com menos é mais" ou coisa desse tipo. Isso confunde os alunos, mais do que esclarece(-4-2=+6, pq a profe disse q menos com menos é mais). É preciso se colocar no lugar do aluno e tentar ver como ele percebe o que estamos ensinando. Muitas vezes, o que para o professor é óbvio (por estar acostumado à essas regras a muito tempo), para o aluno e extremamente confuso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fernanda!

      Compartilho do mesmo pensamento. E equação? É um terror ouvir "passa e muda o sinal", entre outros.

      Obrigado por estar aqui.

      Um abraço!

      PS: desculpa responder agora, pois não recebi a notificação de novos comentários.

      Excluir