Algumas dicas pessoais para planejar e elaborar suas provas de Matemática, procurando sempre evitar erros muito comuns na hora de "avaliar" seus alunos. Tais dicas não são imposições minhas, no entanto podem te ajudar de alguma forma.
Infelizmente a avaliação escrita formal ainda é o principal recurso para se "avaliar" um estudante, independentemente da série/ano que esteja estudando, até a conclusão de um curso universitário. Sempre ao final do bimestre ou semestre de estudos, uma avaliação é aplicada para "medir" o nível de aprendizado de um aluno.

No artigo Como deve ser uma avaliação de Matemática, apresentei, em um contexto um pouco mais amplo, quais formas de avaliação alternativas para a famosa prova escrita. Nesse artigo destaquei o que não devemos fazer ao elaborar uma prova escrita de Matemática.

Se você é um professor experiente, talvez ler este texto não faça alguma diferença. Porém, para professores iniciantes, dos quais recebo muitos e-mails, toda ajuda faz uma grande diferença.

Os principais erros ao elaborar uma avaliação formal de Matemática

Nessa postagem compartilhei algumas dicas pessoais para planejar, elaborar, digitar, visualizar e armazenar suas provas de Matemática, procurando sempre evitar erros muito comuns na hora de "avaliar" seus alunos. Tais dicas não são imposições minhas, no entanto podem te ajudar de alguma forma.

Continue lendo.

Elaboração da prova escrita

Esta é a parte mais importante. Se temos que "avaliar" mediante uma prova escrita, ela deve ter uma atenção especial. Nas minhas avaliações sempre procuro não exagerar ou evitar:
  • Questões que induzem a interpretações erradas e/ou ambíguas (causam dúvidas sem saída);
  • Questões cuja a resposta não exija raciocínio lógico-dedutivo;
  • Questões rápidas e mecânicas, como por exemplo:
    • Calcule o valor de;
    • Resolva a equação;
    • Encontre o x.
Encontre o x!

Sobre a imagem acima, eu dou a razão para o aluno. Sei que é difícil encarar a piadinha, mas a questão não foi bem elaborada.

Por outro lado, sempre que possível, procuro focar em:

  • Questões contextualizadas ou cotidianizadas, relativas ao conteúdo específico;
  • Introdução indireta sobre fatos históricos da Matemática;
  • Usar imagens ilustrativas de alta qualidade relacionadas ao contexto da prova;
  • Não exceder o número máximo de 15 questões (na maioria das vezes são 10);
  • Dedicar um maior número de questões para os conteúdos mais recentes e que serão pré-requisitos para o próximo bimestre;
  • Provas objetivas e subjetivas é escolha pessoal;
  • Nunca elaborar mais de 3 provas por dia. O cansaço fará você cometer erros;
  • Se não tem tempo suficiente, elabore uma prova por dia (não é necessário esperar o fim do bimestre para elaborar as provas);
  • Exigir na prova, o mesmo nível que é aplicado em sala de aula. Caso contrário, não precisa de prova, pois já saberemos o resultado.
  • Não elaborar provas nos finais de semana. A não ser que você não tenha uma folga durante a semana.


Tipo de escrita da prova

Particularmente não vivo sem um editor de texto com suporte para edição de simbologia matemática. Cada um tem o seu modo de elaborar e escrever suas provas como quiser. Para um maior efeito de organização textual e organização matemática das questões, é ideal fazer uso de um editor de texto.

Nunca fui fã de provas quebra-cabeça. Na minha época de estudante alguns professores recortavam uma questão ou figura de um livro, colavam em uma folha A4 branca e depois faziam cópias. As questões eram confusas, apagadas, desorganizadas e sem simbologia matemática clara.

Digitar provas em um editor de texto não é nada complicado, desde que se interesse em querer aprender. No final do artigo há dicas de softwares para essa finalidade.

Quanto ao modelo, cada escola tem o seu e exige do professor que siga o padrão, como: fonte, tamanho da fonte, espaçamento, colunas, etc. É importante que o modelo tenha um cabeçalho com instruções diretas, sobre o que os alunos podem ou não podem fazer durante a realização da prova.

Revisão da prova

É muito constrangedor no dia da aplicação da avaliação, um aluno te chamar e dizer que tem algo errado na questão. Faltou uma palavra, uma frase, um símbolo, uma equação, etc., que deixa o problema sem o menor sentido. Neste momento só resta o cancelamento da questão. E neste caso, o ponto é doado automaticamente.

Ao final da elaboração de uma avaliação, é sempre bom dedicar mais um tempo para revisar questão por questão antes de enviá-la.

Como arquivá-la

Suas provas estão prontas? Não confie em deixá-las salvas em seu computador, notebook ou pendrive. No artigo Dicas para não depender de um pendrive, descrevi um pequeno relato pessoal, do qual nunca mais quero passar. No final desse artigo tem mais dicas.

Google Drive Provas
Sempre sincronizo minhas provas com o dispositivo móvel, incluindo o gabrito.

Pois bem, tire alguns minutos e abra uma conta em algum servidor online e crie suas pastas privadas para salvar seus arquivos importantes, como provas, planejamentos, etc. No final deste post há algumas dicas.

Para realização de tarefas em tempo real, eu prefiro o Google Drive. Leia o artigo Como o Google Drive pode ajudar nas minhas tarefas docentes. Coloque em prática e seja feliz. :D

Como corrigir

Não vou te ensinar a corrigir sua prova, porém, faça isso com a mente leve e sem stress. Só assim terá mais calma para fazer um julgamento justo sobre cada situação. O ideal é que esta atividade seja feita em um ambiente claro, sem barulho e confortável.

Só assim a concentração poderá ajudar a corrigir as avaliações com paciência e sem prejudicar nenhum aluno por conta de algum erro durante a correção. Se a avaliação for subjetiva, esse cuidado deve ser redobrado.

E o tempo? Eu sei que vida de professor é corrida demais (este post demorou 3 semanas para ser escrito e publicado por falta de tempo). Tudo tem que ser rápido e em sequência. Com um pouco de organização da gestão escolar e do professor, é possível evitar stress desnecessário.

Mas, e se você elaborasse e digitasse uma questão por dia, ao final de cada conteúdo/tópico abordado em sala de aula? Não importa se é no final do dia ou em um final de semana. A diferença é que você elaborará e digitará apenas uma questão. Quais os benefícios? [Leia mais no artigo Como elaborar e digitar 7 provas (70 questões) em apenas 10 minutos?]

Como pontuar

Tenho uma forma muito particular de pontuar questões, que depende de aluno para aluno. Geralmente, por exemplo, é assim: a questão 01 tem 5 itens e vale um ponto. Esse ponto é divido por 5 totalizando 0,20 para cada item. Tudo certo, não vejo problema algum com esse tipo de pontuação, e adoto assim também.

Porém, em alguns casos, faço o seguinte: a questão 01 tem 5 itens e vale um ponto. Esse ponto é divido por 5 totalizando 0,20 para cada item. Se o aluno errar apenas um item, ele ganha a pontuação geral da questão. Se errar 4 itens, ganha apenas 0,20.

Esse tipo contagem aplico somente em questões subjetivas, quando percebo que, por algum detalhe simples, o resultado da questão não foi concluído. Por este motivo, nunca vejo uma nota 8,8 ou 9,9. É um estímulo para o aluno que se dedicou um pouco mais.

Softwares que uso para elaboração, digitação, visualização e armazenamento de provas

Independente do sistema operacional que você utiliza, sempre há um bom editor de texto e ferramentas para te auxiliar nestas tarefas docentes. Essas são as ferramentas que utilizo para elaborar provas, digitá-las, visualizá-las e compartilhá-las.

Elaboração de provas (ideias)

Durante as aulas sempre bate uma ideia para questões que usarei numa avaliação. Para não esquecê-la, anoto-as no Google Keep (versão para Android) ou uso o gravador de áudio. Ao retornar para casa, passo as questões para o editor de texto no Google Drive e não salvo no notebook.

Digitação de provas

Utilizo o LibreOffice Writer e a extensão TexMaths. No artigo Como inserir equações em Latex nos documentos do LibreOffice Writer tem um tutorial completo para te ajudar.

Dica importante: Após as edições nunca envie as provas para escola em formato nativo (.docx ou .odt). É recomendável que envie em formato .PDF (a não ser que você seja obrigado). Desta forma as questões não poderão ser editadas ou ter alguma simbologia matemática quebrada e que prejudicará na hora de imprimir.

O Word e Writer possuem este recurso de salvar um documento em PDF.

Visualização de provas

Após editar as provas e salvá-las em .PDF, visualize com o Adobe Reader ou Evince. E quando preciso editar um arquivo PDF, utilizo o PDF Mod.

Armazenamento

Todas as minhas tarefas docentes são sincronizadas em tempo real com serviços de hospedagem gratuita de arquivos. Mesmo depois de salvas, armazeno todas as tarefas em pelos menos 5 servidores diferentes. Atualmente utilizo o MEGA como servidor principal para sincronizar em tempo real.

Qualquer alteração que é feita em uma prova, por exemplo, e o arquivo é salvo, automaticamente já  é enviado para o servidor (HD online). Desta forma não tem perigo de perder algum arquivo caso algum equipamento tenha defeito e impossibilita de utilizá-lo.

Imagens

Para edição e criação de imagens para as provas, utilizo o GIMP 2.8, Inkscape e o LibreOffice Draw 4. Todos tem versões para Linux, Mac e Windows. Não sou um expert em edição, faço apenas edições básicas e que são úteis para as minhas provas.

Gráficos

Utilizo o GeoGebra ou o Libreoffice Draw, para criar formas ou figuras geométricas.

Pergunta que não quer calar

E pra quem não sabe utilizar um editor de texto? O que fazer?

Da mesma forma que incentiva os seus alunos para estudarem, faça o mesmo com você. Mostre interesse em aprender os recursos que serão muito úteis para sua própria atividade profissional.

E onde estudar? Assista vídeo aulas no youtube. Lá o que não falta são professores sobre qualquer tema. Pesquise no youtube por como editar um documento no Writer. Eu não pesquisei o termo, mas tenho a certeza absoluta que tem vídeos ensinando essa tarefa.

Às vezes, o que acontece é a acomodação que se instala em nós. Certa vez vi uma colega digitando suas provas. Vi ela dando um Ctrl+C de uma prova inteira e um Ctrl+V em outro documento vazio, mudando apenas o nome da turma. E ainda ela tinha todo o trabalho de fazer alterações no novo documento. Ela não sabia que bastava fazer cópias do mesmo arquivo e renomeá-los.

E-book LibreOffice para leigos

MEGA 4 shared Dropbox Google Drive Box

Concluindo

Uma avaliação bem elaborada, editada e organizada, evita que o aluno se preocupe com outros detalhes, mas que são importantes para que ele consiga interpretar e responder as questões. Uma boa avaliação, do ponto de vista técnico, é aquela que você tem o prazer em elaborar, editar e principalmente não perderá tempo corrigindo seus erros, em vez dos possíveis erros dos seus alunos.

Qual a sua prática para montar as suas avaliações? Deixe um comentário.

Conteúdos:


Edigley Alexandre

Edigley Alexandre

Graduado em Matemática pelo DME na UERN em 2007, leciona Geometria, Matemática e Física. Blogueiro Part-Time desde 2007. Membro do Google+ Create em Português. Seu interesse é compartilhar conhecimento matemático interligado à Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como artigos de opinião sobre Educação, Matemática e Educação Matemática.

Os comentários serão moderados pelo autor do blog. Respondo todas as segundas-feiras, terças-feiras e finais de semana.

É muito bom ler comentários, porém atente para algumas regras muito importantes antes de enviar a sua colaboração para este artigo.


Comente este artigo:

2 comentários:

  1. Sempre procuro marcar as avaliações de acordo com o meu tempo disponível, ou seja marco as provas de tal modo que no próximo horário com a turma ja estou devolvendo. Ao corrigir procuro escrever algumas frases de incentivo, alertas sobre o comportamento e elogios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Depende das regras da escola. Algumas tem agenda de avaliações, outras preferem deixar que os professores façam de acordo com a sua carga horária.

      Às vezes, também faço isso que você comentou. O bom é que agiliza o diário, quando as provas são corrigidas rapidamente.

      Um abraço!

      Excluir